Vocação para vira-lata

Semana passada a governadora do Piauí em exercício Margarete Coelho, concedeu entrevista ao programa de jornalismo ancorado pelo radialista Bartolomeu Almeida em companhia do comentarista Domingos Bezerra, veiculado pela rádio Teresina FM.

Antes da manifestação da entrevistada eu estava lincado por telefone aguardando para participar, foi quando ouvi que a magnânima senhora chefe do executivo piauiense adentrava ao estúdio, aproveitei a deixa e fiz breve relato de um evento de ciência, tecnologia e inovações, realizado no auditório do Teresina Shopping em novembro de 2016, quando a governadora se manifestou em seu pronunciamento estar surpresa com a primeira carta patente deferido ao estado do Piauí de minha propriedade, ao tempo em que asseverou que seu governo teria obrigação de apoiar a nossa criatividade. Essa falsa promessa foi divulgada a 157 países que simultaneamente promoviam o mesmo evento.

Ao término do encontro veio falar comigo, me parabenizou, me abraçou, pousou para fotos e determinou a professora Lucile Moura, que tomasse todas as providências junto ao Sedet, como tambem comunicasse o fato ao secretário da pasta deputado estadual Nerinho, em cinco dias todo o projeto foi realizado, no ato do protocolo a Lucile Moura, me tranquilizou dizendo que estava tudo certo, que no máximo em março de 2017 o recurso seria disponibilizado. Fui embromado, ludibriado e enganado por mais de um ano, realizei ligações telefônicas aos números que me foram disponibilizados por centenas de vezes jamais consegui falar com algumas dessas pessoas.

Estive na vice governadoria por mais de 100 vezes, sempre fui recepcionado por pessoas diferentes que usavam todo tipo de pretexto, proselitismos e ludibriações, uma das últimas vezes por indicação do secretário de governo Merlong Solano, foi agendado para as 10h a tal audiência prometida pela vice governadora acordado há mais de um ano. Cheguei as 10h 30min horário aprazado, Às 14h a chefe de gabinete me dispensou informando da impossibilidade de manter a agenda em virtude que a Margarete Coelho, seguiria em 10 minutos para o aeroporto, sua mala já estava no veículo, voaria com destino a São Paulo para uma reunião, me despedi e agradeci a irresponsabilidade e descompromisso do governo do Piauí, desde então retirei essa quadrilha das minhas relações.

Na oportunidade da minha manifestação parabenizei a governadora em exercício por permanecer a bordo de aeronaves para cima e para baixo com destino indefinido e improvisado, acarretando enormes despesas ao minguado erário desse miserável estado, para minha felicidade ela deu o calado como resposta evitando de forma inteligente jogar merda no ventilador.

Um participante mais atento exigiu ao apresentador do programa que fizesse perguntas sérias, referentes ao gravíssimo processo de degradação que vive esse estado, o apresentador rechaçou imediatamente retirando do ar o cidadão impostor, justificando que eram muitas questões e não poderia se ater a todas.

Dois participantes, um do Paraná que não vota no Piauí e outro residente em algum muquifo da periferia disse que gostaria de ter a Margarete Coelho como governadora do estado, foi o suficiente para uma verdadeira festa ao reconhecimento de importantíssimo trabalho da vice- governadora a frente do governo, lamentavelmente foi demonstrado estúpido desconhecimento ao índice populacional do Piauí superior a 3.200 milhões de habitantes deste contingente, evidentemente 90% é formado o eleitorado.

A governadora por sua vez agradeceu as manifestações asseverando ser legitima representante da mulher, sendo inaceitável perder essa oportunidade, justificando seu desejo de permanecer na chapa de Wellington Dias, pra evitar imenso retrocesso e desvalorização da mulher, a necessidade de continuar como vice empodera a mulher, conscientiza e incentiva a não se limitar apenas ao exercício do voto, a mulher tem direito de votar e ser votada, mesmo sendo a maioria os parlamentos brasileiros não respeitam essa garantia legal.

Tenho quase convicção que toda aquela propaganda eleitoral extemporânea foi financiada pela coordenadoria de comunicação do estado, travestida de mídia institucional, cujos valores custa os olhos da cara do contribuinte.

Ao pesquisar site de prestação de contas governamentais me deparei com a bagatela de 70 mil reais pagos a uma certa concessão pública de rádio. Ao comentar com um amigo funcionário de uma produtora, tomei conhecimento que aquele valor é fictício, o objetivo é apenas constar nos anais, sendo inimagináveis os valores reais pagos em reais, dessa forma estamos todos imbuídos em fortalecer, desenvolver e promover a autentica democracia no que diz respeito a igualdade de direito a todos em harmonia com o texto constitucional brasileiro.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em segunda-feira, fevereiro 26th, 2018 às 11:28 am na(s) categoria(s) Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário