Vice-governadora Regina Sousa, picada de morte

Dia 17 estive na delegacia da mulher intimado para uma audiência, fui surpreendido com a presença da servidora pública Antônia Geneide Santos, lotada no gabinete da vice-governadora Regina Sousa, autora de fictícia queixa referente a sua condição de mulher desrespeitada, agredida, desmoralizada, difamada na presença de todos presentes na recepção da sede da vice-governadoria.

O que é cômico se não fosse drástico é que a desprovida servidora em seu depoimento prestado a titular da especializada delegada Vilma Alves, que gostaria de acrescentar inominável constrangimento público que sofreu, quando o reclamado gritou em tom altíssimo que ela fosse tomar “naquele lugar”, o surpreendente é que o tal pronome “naquele lugar” não foi identificado nem pela depoente nem tão pouco pela autoridade policial, na minha avaliação trata-se de algo abstrato ou talvez um objeto não identificado.

A delegada retomou a palavra fazendo algumas ponderações e perguntas: Seu Carlos, o senhor deve saber que hoje em dia a mulher é cidadã de direitos que deve ser respeitada pelo homem. Retruquei a matéria de currículo escolar dos anos 60, argumentando que tanto a mulher quanto o homem são sujeitos de direitos, deveres e obrigações, no meu caso específico e nas condições em que aconteceram os fatos, meus direitos foram vilipendiados e desmoralizados de forma vil, por uma servidora pública desconhecedora da etimologia da palavra que servidor é para servir e não para conter abusos. A reclamante falta com a verdade em vários aspectos, quando omitiu sua irresponsabilidade ao se negar a ler documentos para um cidadão com deficiência visual, contribuinte em pleno gozo de sua cidadania.

A delegada perguntou a reclamante se queria continuar com o TCO, a resposta foi positiva, acrescida da seguinte expressão: Vou continuar porque o reclamado também está me processando. Fica perceptível e patente a qualquer leigo que a reclamante promove retaliação, represália e revanchismo, tentando a qualquer custo promover sua autodefesa, factoide maledicente, tendencioso, inverídico e contestável que cairá por terra perante o Ministério Público, como também por difamação e denunciação caluniosa.

Por incrível que pareça em momento algum teve a ombridade, dignidade e decência de declinar a delegada os motivos pelos quais submeteu ao acusado, crime de injúria a pessoa presente na recepção da vice-governadoria ao bradar que conhecia muito bem o reclamado, que o mesmo usa sua cegueira para prejudicar as pessoas tirando proveito de sua deficiência visual para si próprio. Tenho convicção que a servidora que se identificou como jornalista não conhece a garantia a fé pública do profissional desse segmento tornando-se impossível provar suas acusações.

Como tenho conhecimento do compromisso e da responsabilidade da senhora Regina Sousa que administra a condução da coisa pública com muito zelo, compromisso, responsabilidade, disciplina, ética e moral, essa desprovida servidora pública não permanecerá lotada em seu gabinete, que no afã de explicar o inexplicável comete escândalos e verborragias semelhantes ao Collor de Melo, quando em um inflamado discurso declarou a milhares de ouvintes que tinha aquilo roxo, objeto abstrato não identificado, igualmente o tal “naquele lugar da servidora Antônia Geneide Santos”.

Em virtude que o reclamado estava tendo o seu depoimento interrompido com a interferência da reclamante, a delegada agendou novo depoimento. É incontestável o descompromisso inconsequente, desonestidade e indignidade da reclamante ao tentar inverter o ônus da prova de uma demanda da qual é vilã e não vítima.

Em remotíssima possibilidade de ser verídica as acusações na recepção da sede da vice- governadoria conforme relato da servidora, o corpo de segurança composto por policiais militares deveria ser demitido por omissão e negligência ao ataque ao propalado, divulgado e massificado (vai tomar naquele lugar).

Carlos Amorim DRT 2081

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *