Traira banida

Dr. Pessoa, deputado estadualDr. PessoaA carta de Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal informando o encontro de novas terras descrevia com riqueza de detalhes as belezas naturais, o contato com a espécie nativa, seus costumes, a exuberância das matas, fauna, flora, e outros. Tenho convicção que essa missiva ao chegar ao destinatário teve seu conteúdo preservado rigorosamente de forma sigilosa.

Ao longo dos séculos, a história acumulou registros de cartas importantes em conformidade com a mencionada acima. Tivemos um período negro da fragilidade humana, quando o homem negro escravizado pelos donos de fazendas de gado, autoridades intelectuais, políticos e poderosos que se orgulhavam de serem  proprietários de milhares de escravos que gerava riquezas com a força motriz braçal, sendo alguns desses negros privilegiados agraciados com a famosa carta de alforria.

Em conformidade com o que nos conta a história, essa fase humilhante vivenciada no Brasil teve seu desfecho final com abolição da escravatura em 13 de maio de 1888. Tivemos outros episódios registrados nos anais da história brasileira e mundial definida através de cartas: Cartas de amor, carta de renuncia, cartas decretando falência, carta de despedida, carta patente, carta de adesão aos mais variados objetos.

Em pleno século XXI, ano 2016 a presidenta da República Federativa do Brasil Dilma Rousseff, recebeu uma carta de seu vice Michel Temer, cujo teor causou imenso frison nunca dantes visto nesse país, simplesmente pelo conteúdo da mesma ter sido divulgado a opinião pública. O impacto foi igual ou superior a carta testamento escrita por Getúlio Vargas, minutos antes de atentar contra sua própria vida em 24 de agosto de 1954.

Como os fatos históricos do Brasil e do mundo são renovados constantemente, no último final de semana, repercutiu em toda a mídia com estardalhaço e sensacionalismo midiático a carta que o deputado José Pessoa Leal, candidato a prefeito entregou a outro também candidato ao mesmo cargo Amadeu Campos, que por motivo até a presente data não explicado deu visibilidade através de todos os veículos de comunicação do Piauí. O teor da tal carta gerou terríveis dissabores tanto ao autor da proposta escrita quanto para a opinião pública, sociedade, povo e eleitores que ávidos por explicações exigiram respostas plausíveis dos fatos registrados.

O deputado José pessoa é um médico de profissão e opção, abnegado, competente, responsável, digno, honrado, gozando de imensa credibilidade junto aos munícipes de Teresina, como também dos piauienses de maneira em geral.

É do conhecimento de todos que o Dr. Zezim é um homem de origem humilde, roceiro, caboclo, puxador de rabo de enxada, embora tenha sido agraciado com a dádiva divina, quando com seus próprios esforços estudou a duras custas e ao longo de sua vida conquistou admiração de todos como médico conceituado, professor de medicina da Universidade Federal, detentor de títulos, político exemplar, mas permanece com os trejeitos  de sua cultura interiorana, preservando seus costumes, não se desvencilhou de suas origens de homem humilde, simples, de pé no chão nos finais de semana em sua terra natal junto ao seu povo.

É fato que o Dr. Pessoa não tem traquejo verbal para se manifestar perante os inúmeros eventos que participa diariamente, mas é facilmente perceptível que os PhDs em linguística e oratória, como também os rabo de cabra analfabetos de pai e mãe, entendem perfeitamente as explanações e manifestações desse exímio homem público.

Quem convive com essa personalidade tem conhecimento que se trata de uma pessoa pura, ingênua, desprovido de maldade, que acredita em todos como sendo amigos. Durante o tempo que lido com esse parlamentar, o tenho alertado para o risco que corre ao abraçar a todos indistintamente os qualificando de amigo, na minha avaliação é temerário esse comportamento.

O senhor Amadeu Campos é jornalista de profissão e opção, segundo ele, vaidosamente informa que são mais de 30 anos comunicando diariamente com a massa, é conhecedor, teórico e prático do poder midiático e sabe como usar a comunicação a seu favor. Ao receber a tal carta que lhe caiu como um maná dos deuses, decidiu divulga-la com objetivos escusos de prejudicar, depreciar e desmoralizar seu adversário.

Percebe-se facilmente que estamos lidando com um homem hábil de raciocínio rápido, competente e inteligente, detém conhecimentos especiais e tem o dom de convencimento, cultuador minucioso dos ensinamentos do livro “O príncipe de Maquiavel”, portanto o nosso querido Zezinho da água branca, doravante não poderá jamais acreditar que uma cobra seja incapaz de voar.

A história registra inúmeras situações onde um passo em falso em uma trajetória vitoriosa transforma-se em derrocada de um grande líder, confirmadamente imbatível em um processo eleitoral, por exemplo: O presidenciável Ciro Gomes ao declinar em entrevista que sua então esposa teria a única atribuição de simplesmente dormir em sua cama, despencou na preferencia popular de 30 para 12% em menos de 24h. E importante frisar que este fato ocorreu por obra exclusiva do próprio candidato.

No caso em baila ouve a maledicência o banditismo e mau-caratismo de um candidato que se acha inferior, mas não envida esforços para usar todas as armas disponíveis ao seu alcance até mesmo as criminosas. Lembremos que o beijo de Judas em Cristo permanece até os dias atuais.



Tags: , , ,
Este texto foi publicado em quarta-feira, maio 4th, 2016 às 8:50 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário