Rolo compressor triturando canalhas

bbbNessa sexta-feira (13) às 15h50min estive na agência do Banco do Brasil 3285-9, quando ao tentar transpor a porta giratória fui importunado e obstruído por um inconsequente que se identificou como chefe de portaria, de forma abrupta e imbecilizada puxou meu braço e em tom áspero disse: Pegue a senha. O interpelei interrogando: Está em relevo Braille? Se quer o despreparado e destreinado funcionário tinha conhecimento do que eu estava falando, aproveitei o dantesco episódio para dar-lhe breve explicação: Não aceito sua imposição, em virtude que sou pessoa com deficiência visual e não consigo ler uma única vírgula escrito em tinta.

Demonstrando ser (boçal de galocha), insistiu para que eu lhe entregasse meu cartão, ao resistir o explícito abuso gero-se breve bate boca por não aceitar a ignorância do desprezível embusteiro. Ao retornar a porta giratória, o elemento me acompanhou e juntamente comigo ocupando o mesmo espaço adentrou ao saguão de atendimento faltando apenas um minuto para o encerramento do expediente.

Este relato deprimente, humilhante, vergonhoso e criminoso acontece diariamente, em virtude da existência de brutal impunidade. Poderes e autoridades tem obrigação de punir com severidade tais indecorosos procedimentos. No Brasil existem 46 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência (dados estatísticos do IBGE censo 2010), todo esse contingente está assegurado por vastíssima garantia de direitos, com base legal nas convenções de: Genebra na Suíça, Nova York nos Estados Unidos, Salamanca na Espanha, Leis 7.853 de 24 de outubro 1989, 10.048/2000, 10.098/2000, LBI nº 13.146-7/2015 e Decretos Federais 3.298/1999 e 5.296/2004.

Lamentavelmente a desobediência a legislação é recepcionada nas instituições bancárias no Piauí, principalmente as federais como sendo verdadeiro pudim de leite, no quesito desmoralização cumulado com estúpido processo de constrangimento publico às pessoas com deficiência no interior dessas agências no estado.

É explícito, nítido e visível a cultura, preconceituosa, discriminatória e excludente com que é tratada a categoria formada por esses senhores e senhoras, é necessário, premente e urgente que haja por quem de direito reação enérgica e severa a essas instituições financeiras, imputando-lhes milionárias multas, como tambem, contemplando as vítimas com vultosas somas financeiras para ressarcimento por danos sofridos por funcionários irresponsáveis e destreinados em nome da classe patronal.

Lembro-me que esta agência que mantenho conta-corrente, foi denunciada por mim algumas vezes, realizamos composição amigável havendo êxito por certo período, mas lamentavelmente presencio que os fatos declinados retornaram com muita veemência.

É importante informar aos quadrúpedes, que a garantia a prioridade não é favor, nem tão pouco privilegio, é exigência legal. No meu caso específico ao exigir direitos, não respeito cara, nem sendo a do Papa.

Carlos Amorim DRT 2081



Tags:
Este texto foi publicado em sábado, julho 14th, 2018 às 8:39 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário