Rádios e TVs ignoraram festa de 30 anos da constituição de 1988

Terça-feira (6) dia histórico para o Brasil, data que o Congresso Nacional comemorou 30 anos da promulgação da Constituição Federal do Brasil, ato solene realizado na câmara alta dos deputados federais, todos os espaços tomados pelas mais destacadas autoridades do mundo politico, tanto os novos quanto os inativos que contribuíram de forma gigantesca para a consolidação do processo democrático brasileiro.

Presentes representantes de todos os poderes constituídos da nação que pronunciaram-se com grande emoção, lembranças, saudades, compromissos e responsabilidades de promoverem um país próspero, desenvolvido que garanta qualidade de vida e igualdade a todos os cidadãos. O lamentável desta festa cívica prende-se a irresponsabilidade e descompromisso dos veículos de concessão pública, rádio e televisão do Brasil, quando recusaram-se a veicular o histórico evento de magnitude extraordinária ao conhecimento da opinião pública brasileira.

Entendo que o ato seria importantíssimo para que desprovidos, ignorantes e imbecilizados obtivessem a devida informação de quão gigantesco foi elaborar todo o texto constitucional que teve início em 1º de fevereiro de 1987, concluído os trabalhos pelos deputados constituintes com o memorável ato de promulgação da constituição cidadã de 5 de outubro de 1988, apresentada por Ulisses Guimarães, testemunhado por milhares de cidadãos que se acotovelavam no mesmo espaço que foi realizada a solenidade de 30 anos de existência desse documento nacional, que assegura liberdade, independência, soberania e garantias de direitos ao povo brasileiro.

O presidente Jair Bolsonaro tem que reagir de forma severa e veemente a desobediência dos detentores de concessões publica de rádio e televisão do Brasil, revogando direitos indevidos, punindo e penitenciando recalcitrantes impondo nova legislação para que os ditames da Carta Magna brasileira seja respeitado pela classe patronal desse segmento.

O ministério das comunicações tem obrigação de reavaliar e exigir de forma rigorosíssima respeito as cláusulas contratuais de prestação de serviço a sociedade brasileira que entende ser o estado brasileiro e seu povo proprietários dessas outorgas.

Parabenizo a TV senado pela excelente prestação de serviço, quando transmitiu ao vivo a solenidade para todo Brasil com som forte, límpido e audível. Estendo meu reconhecimento e elogios aos profissionais que trabalharam no evento.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, novembro 7th, 2018 às 9:12 am na(s) categoria(s) Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário