Rádio difusora censura e promove crime homofóbico

O professor Renato, gay assumido deve ser chamado de “Renata”, em meu entendimento essa postura trata-se de crime homofóbico, explícito e inquestionável. Outro ouvinte declinou que essa turma do PT usa o órgão excretor para fazer sexo, transar e fazer amor de forma inaceitável, querem que todos sejam viados. Contesto veementemente esse processo estupido de preconceito e discriminação. Um dos 3 apresentadores que perdeu a oportunidade de ficar calado corroborando com os imbecilizados ouvintes que se manifestaram declarou: O professor Renato se autointitula desta forma, não sei se é verdade o que declina nos programas que participa.

Todo esse festival de brutais desrespeito aos direitos humanos, como também a legislação vigente no Brasil de garantias de direito as igualdades de todas as formas que o cidadão possa exercer, foi matéria da concessão pública de rádio pertencente a difusora AM de Teresina, no programa canal livre, levado ao ar de 8 às 9h30 de segunda a sexta feira.

O detentor desta concessão pública Mario Rogério da Costa Soares, ancora o programa com bancada de 2 outros jornalistas, o que e lamentável é que fatos deprimentes em conformidade com o descrito, são ações contumazes, não tenho conhecimento de uma única repressão ou advertência desencadeada por parte do Mario Rogério, que em suas pífias manifestações tenta levar ao conhecimento da opinião pública ser o arauto da moralidade, decência e dignidade.

Lembro-me que em uma ocasião saiu-se com esta “pérola”: Eu não como viado, não adianta andar atrás de mim, sou hétero e não aceito esses viados pegajosos me seguindo diuturnamente. Essa declaração tipifica-se crime homofóbico que foi denunciado à Procuradoria-Geral da República secção Piauí, em sua defesa usou pretextos para desrespeitar intimação do procurador federal asseverando a impossibilidade de disponibilizar copia de programa em virtude de falha do empregado, esta peça fictícia e mentirosa foi disponibilizado a um delegado de polícia, informou também que reuniu todos os seus empregados e exigiu absoluto respeito a legislação, sendo demissão sumária aos desobedientes.

O velho adagio popular diz que papagaio come milho e periquito leva a fama, como mentiras tem pernas curtas, em uma obrigação de retratação determinado pela justiça declarou em alto e bom som que em uma brincadeira no passado havia dito que não comia viado, esta declaração está postada neste veículo CD miscelânea faixa difusora confessa crime.

Não sou ouvinte assíduo dessa emissora, mas esporadicamente perco meu tempo me atualizando no que posso adjetivar de relinchos, contabilizo 9 processos em desfavor dessa emissora, em virtude da irresponsabilidade, despautérios, desrespeito as garantias dos cidadãos, como tambem, acentuada incompetência demonstrada pelo detentor dessa concessão.

Tenho ânsia de vômito quando o ouço tentando explicar o inexplicável, referindo-se como o mais democrata do planeta terra, obediente, rigoroso as garantias da Carta Magna, incentivador contumaz e diário a livre manifestação com absoluta liberdade e independência as expressões ideias e pensamentos, ocorre que eu, jornalista gestor desse veículo, estou há 13 anos proibido e censurado de falar nessa emissora, em virtude que não admito em hipótese alguma defender ou aceitar, apoiar qualquer tipo de bandalheira, canalhice e injustiça que corrobore com o pensamento tendencioso, perverso e criminoso do Mario Rogério.

Enfatizo ter conhecimento liberdade independência e soberania garantido pelo texto constitucional brasileiro para me posicionar, descrever, relatar e comentar sobre qualquer tema ou assunto. Lembro-me perfeitamente dos comentários realizados pelo Mario Rogério, relativos a decisão do juiz federal plantonista da 4ª Região, quando deferiu a liberdade ao ex-presidente Lula, o nome mais simples que classificou o magistrado foi de bandido desclassificado.

Estou postando 2 termos probantes nesta pauta, o primeiro refere-se a um ofício encaminhado a uma autoridade, quando o Mário Rogério assevera ter determinado aos seus subalternos a proibição de se quer mencionarem o nome Carlos Amorim aos microfones deste veículo pertencente ao estado brasileiro, mesmo assim garante ser a emissora mais democrática do universo (desde que fale o que ele quer ouvir). O outro documento trata-se de uma das intimações proclamadas por um juiz de direito para depor em um processo criminal, pasmem, desobedeceu a todas as ordens emanadas pelo Egrégio Tribunal de Justiça do Piauí, para quem se autointitula o arauto da moralidade esse tema é uma página negra em sua existência.

Se o Brasil fosse um pais serio essa concessão publica de rádio já havia sido extinta há décadas, pelo extraordinário número de arbitrariedades cometidas. Estamos na fase final de uma eleição nacional, quando os microfones dessa emissora foram usados vergonhosamente em desfavor da Lei 9.504/97, propaganda explicita fora do horário eleitoral gratuito e das inserções autorizadas pelo TRE. Os programas abertos a participação popular eram palco para proselitismos políticos, sendo o mote principal declinar nomes e números de candidatos aos mais variados cargos.

Gostaria por algum motivo elogiar a grade da programação desta que é a caduca do Piauí, mas não tenho a mínima motivação. Nesta oportunidade demonstro minha inquietação e repúdio ao gesto do padre Reginaldo Manzotti, ao veicular importante programa católico religioso em uma emissora com o tipo de procedimento que sou vítima e outros tantos que não tem a dignidade de se quer indignarem-se com esses abusos e anticidadania identificado por mim nesta matéria. Tenho convicção que o reverendíssimo não tem conhecimento dos tais atos atrozes. Entre a rádio pioneira emissora católica pertencente a arquidiocese de Teresina e a rádio difusora com todo esse stafe de credenciais negativos a distância é igual ida e volta da terra ao planeta marte.

Carlos Amorim DRT 2081

primeiro documento

termo de audiência

mandado de intimação Mario Rogerio1

mandado de intimação Mario Rogerio2



Este texto foi publicado em quinta-feira, outubro 18th, 2018 às 9:53 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário