Quadrilhão do PT é só sal

Me deparei com uma discussão em uma emissora de rádio, quando uma trinca formada pelo locutor Joel Silva, comentarista Cristiane Sekeff e professor Jessé Silva Barbosa, a pauta versava sobre a rede mundial de computadores, seus malefícios, preocupações e avanços referentes as redes sociais, me interessei pelo tema, ao meu sentir parecia discutirem o sexo dos anjos ou um dos contos da saudosa carochinha, algo semelhante a estória de trancoso entre nobres e plebeus, atualizando a pauta, verdadeira doutrina semelhante a escola partidária.

Em certa ocasião o Jessé Barbosa enfatizou com riqueza de detalhes que o internauta era usado pelas grandes empresas que administram a internet no mundo, todos estavam contidos em uma “bolha” como reféns, eram explorados e submissos em todos os aspectos ao poderio gigantesco dos que dominam a comercialização de dados e outras informações dos clientes de forma desautorizada. Aquele evoluído pate papo seria um preâmbulo para o quadro, salvo engano denominado linha.

Mudando de assunto o professor PHD em petismo fanático, introduziu em seu tema ao possível veto a 16% de aumento salarial aos ministros do STF aprovado pelo senado, falou da importância desse ato para salvar o currículo do presidente do Brasil Michel Temer, na ocasião acrescentou de forma imbecilizada e desinformada a condição que o presidente não foi eleito, não recebeu sequer um voto, mas poderia usar o bom senso e evitar o prejuízo de 6 bilhões ao Brasil, valor referente ao efeito cascata que alcançaria centenas de instituições.

Enojado daquele lero-lero e papo furado de derrotado, enviei mensagem via produção com o seguinte teor: Diga ao Jessé que o presidente Temer foi eleito majoritariamente com a Dilma Rousseff, votos conquistados na chapa valeu para ambos, vice e titular, da mesma forma que a chapa majoritária do senador Wellington Dias, os votos conquistados valeram também para a senadora Regina Sousa, este é o regime, normas e regras determinadas pela constituição federal do Brasil.

O gênio da cocada preta respondeu o seguinte: Aqui está uma manifestação inerente a “bolha” que falávamos anteriormente. O Temer não é presidente legítimo, pois interessados cassaram ilegalmente a presidenta Dilma, se não tivesse havido esse fato, esse presidente que ai está não estaria no poder. Meu segundo questionamento foi desconsiderado e esquecido. Ouvi todo esse relincho com minha cara no pinico, enquanto questionava que tipo de professor é este moço, quais conteúdos entrega aos seus pupilos, alunos vitima de um indivíduo inescrupuloso.

Na oportunidade a Cristiane Sekeff, perdeu a maravilhosa oportunidade de ficar calada, enfiar sua língua em qualquer outro lugar menos movimentá-la na sua boca para o desserviço que prestou ao ouvinte. Jessé você tem rasão, a questão da “bolha” é grave, pois evitaria esse tipo de agressividade que presenciamos por desconhecimento. Até a presente data não entendi o enigma verbal que tentou explicar.

Após todo esse desastre fiz breve reflexão daquelas três personalidades e suas manifestações patéticas e ridículas, retroagindo aos deprimentes episódios: O jessé Silva, enquanto diretor da rádio Antares AM, agregou 10 deficientes visuais na função de locutores para apresentar um programa aos sábados, esses bodes expiatórios não tinham escolaridade, capacitação profissional, competência ou qualquer tipo de formação para o exercício da atividade, denunciei o deprimente fato a procuradoria federal do trabalho, o resultado quem quiser saber basta procurar o próprio Jessé.

Participei de um evento em Brasília quando recebi das mãos do Lula, CD educativo a política de acessibilidade do Brasil, em contato com o presidente da fundação Antares Rodrigo Ferraz, este me encaminhou para o Jessé Silva, meu objetivo era veicular uma faixa do CD na grade da programação. Para minha surpresa o spot de 35 segundos foi reduzido para 25 segundos, em virtude de criminosa edição imposta por esse professor genial, a matéria ficou absolutamente incompreensível, tenho convicção tratar-se de maledicência de petista fanático.

A Cristiane Sekeff enquanto coordenadora de comunicação do governo do estado, em uma agenda comigo em seu gabinete programada para 10h15 recusou-se veementemente a me atender, quando solicitado pela sua secretária de prenome Ana, com o seguinte argumento: Diga a esse cego que estou de saída para pegar meu filho no colégio, não foi necessário a transmissão do estúpido recado, pois ouvi em alto e bom tom da antessala onde me encontrava.

O Joel Silva aos seus 60 anos de rádio cunhou a celebre frase com os seguintes dizeres: Olha o axioma no significado da palavra Deus e perfeito, algumas pessoas, muitos de nós somos deficientes, o que não é nada mais e nem menos do que um freio inibitório para conter a evolução de um mau caráter, veja o exemplo do Marcos Valério, bem que poderia ter uma deficiência.

A título de informação, Marcos Valério mencionado nesta obra-prima preconceituosa foi o chefe do mensalão mineiro, preso há 10 anos. Entendo a manifestação deste caduco comunicador ao se referir a mim, se eu não tivesse perdido minha visão teria tendido a um marginal tipo Fernandinho Beira-Mar ou qualquer outro.

Por incrível que pareça esse trio ternura é a nata da comunicação do estado, preocupação constante ao alunado da comrádio do Piauí.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, novembro 28th, 2018 às 9:45 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário