Promotores de almas sebosas

Nesta segunda feira 1º de fevereiro do corrente ano foi realizada a eleição para a presidência das duas casas legislativas do Congresso Nacional, senado e câmara, o senado composto por 81 parlamentares e a câmara alta do Brasil 513 deputados.

Para desespero dos covidões, a eleição foi realizada presencialmente, fato que deve ter derrubado do jirau o excelentíssimo senhor promotor de justiça do Ministério Publico do estado do PI José Reinaldo Leão Coelho, ao dormir no ponto não atentou para essas votações em Brasília, se quer uma única vírgula foi mencionada para defenestrar o pleito eleitoral das duas casas legislativas federais, enquanto isso esse moço de forma estapafúrdia, deselegante, humilhante e desrespeitosa orientou a proibição da eleição da Associação dos Cegos do PI-ACEP, diga se de passagem a única instituição do Brasil de pessoas com algum tipo de deficiência para escolha de sua diretoria em processo parametrizado, ou seja, em urna eletrônica, parceria com o Tribunal Eleitoral do Piauí.

Esse inédito procedimento sustenta o processo de inclusão ao exercício de cidadania da pessoa com deficiência visual a garantia do voto. Por incrível que pareça o gestor do MP-PI em baila que deve se autointitular de um dos deuses da Grécia antiga, de forma intransigente, truculenta e desajustada interferiu na eleição da entidade acima mencionada, esta instituição por conta de grosseiro abuso de autoridade está a deriva tipo bosta de jumenta prenha, rio abaixo desde o dia 10 de janeiro não tem representatividade legal em decorrência do mandato do presidente que expirou há 22 dias.

O Processo do coitadinho do ceguinho e o ceguinho com a cuia na mão infelizmente ainda perdura de forma aviltante, especialmente com atitudes nefastas de pseudos detentores de abusivo poder. A Acep está assegurada por estatuto legalmente constituído, como também registrada em CNPJ ativo e autêntico, a associação é mantida por recursos oriundos de convênios das três esferas de governo, como também contribuições oriundas da sociedade civil organizada, lamentavelmente nos dias atuais está nocauteada e estendida em um ringue de 5ª categoria, graças à benevolência e desejo de irresponsáveis indivíduos nocivos fuçando incansavelmente para sua extinção com o pretexto arguido de aglomeração de deficientes visuais, sendo estes acometidos de comorbidades (não tem cunho científico especialmente quando o intruso não reúne conhecimento devido para tal).

Em novembro de 2020 tivemos em todo Brasil eleições partidárias para prefeitos e vereadores, 6,5 milhões exclusivamente com deficiência visual (dados estatísticos oficiais do IBGE Censo 2010) foram às urnas sem qualquer tipo de impedimento (dependendo apenas de sua própria vontade).

APPM há 15 dias realizou eleição para escolha do seu presidente, dentre 224 municípios houve um índice de votação acima de 150 presenças, não tenho conhecimento que uma única contestação ao pleito fosse realizada.

A Câmara Municipal de Teresina e Assembleia Legislativa do Piauí promoveram alguns eventos presenciais sem que houvesse qualquer manifestação da genialidade do MP-PI, portanto a pessoa com deficiência visual nesse estado regride de forma substancial a homens e mulheres de 5ª categoria, desrespeitados e desconhecidos, apesar que ao longo de 53 anos de existência dessa entidade reúne número acima de 60 membros associativos detentores de até 3 graduações acadêmicas. Entendo a necessidade urgente a respeitabilidade da convenção da ONU realizada em Salamanca na Espanha, como também fidelidade a vastíssima legislação de garantias de direitos que abraça o contingente de 46 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência existente no Brasil.

Sou contundente, rigoroso e severo ao afirmar, sendo eu candidato a presidente nesse pleito faria a eleição com base no estatuto da entidade, não titubearia em ajuizar pedido de liminar ao poder que tem garantia de decisão (dentro do meu direito não respeito nem o Papa com toda a sua fonte milagrosa).

O saudoso jornalista e deputado estadual Carlos Augusto, ao longo de sua vida massificou a seguinte frase: “Os grandes continuam grandes porque você continua de joelhos”.

Carlos Amorim DRT 2081/PI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima