Promotor Afonso Gil Castelo Branco: Um bravo guerreiro do Piauí

Afonso-GilOntem (9)  completa nove anos do falecimento do deputado  piauiense Afonso Gil Castelo Branco, encontrado morto em sua residência na noite de segunda-feira, de 9 de agosto 2004.Para quem conheceu estamos relembrando e para os que não o conheceram informando sobre uma das raras  personalidades  da política do Piauí.

Muita gente acha que para ser um grande líder é preciso nascer com as características certas. Mas muitos estudos já foram feitos e provam o contrário: liderança pode ser aprendida!

Algumas pessoas têm, sim, mais facilidade e agem naturalmente da maneira certa. Outras precisam de um pouco mais de estudo e prática, mas são capazes de alcançar o sucesso em um cargo de liderança.

Quando falamos de liderança, uma coisa é certa: é preciso agir da maneira correta para inspirar, motivar e conseguir os melhores resultados. Mas na política,  acima de tudo, é preciso a coragem. E isso não faltava em Afondo Gil Castelo Branco. Foi um bravo guerreiro do Piauí.

As primeiras impressões da sua morte  levaram a crer que foi suicídio. Ele havia denunciado a existência de uma máfia, formada por policiais civis e militares no Piauí, chefiada pelo Coronel da PM, Correia Lima, que está preso.

O crime organizado no Piauí era sustentado por uma quadrilha com ramificações na polícia, na Justiça, entre empresários e políticos… A lama espirrava até dentro do palácio do governo. Desde então, a cabeça de Castelo Branco, que iniciou toda a investigação, foi colocada a prêmio.

Vários bandidos foram presos pela Polícia Federal no Piauí, todos denunciadas pelo promotor Afonso Gil. A pedido da Justiça, a PF grampeou telefones dos principais suspeitos de integrar o crime organizado no Estado. Foram 700 horas de gravação registradas em 350 fitas que, somadas, reuniram 2.500 conversas. Por meio do grampo, a PF desbaratou uma quadrilha especializada em assassinatos, extorsão e venda de notas fiscais frias para prefeituras do Piauí, Ceará e Maranhão.

O coronel da PM José Viriato Correia Lima comandava toda a rede. O grampo revelou que Correia Lima mantinha escritórios no Piauí em que vendia notas fiscais frias para prefeituras, comercializava armas ilegais e ordenava assassinatos de quem cruzasse seu caminho. Na cota do grupo comandado pelo coronel, a PF  contabilizou muitos assassinatos.

“Sei que me envolvi com uma máfia perigosa, mas vou até o fim”, dizia o promotor Castelo Branco, que denunciou a quadrilha à Justiça e por isso vinha recebendo ameaça de morte. Castelo Branco era casado pela segunda vez, pai de quatro filhos, tinha admiração por Che Guevara e Fidel Castro, que considerava o maior estadista do século.

Afonso Gil Castelo Branco foi encontrado morto, sentado em sua cama, com um tiro na cabeça, no dia 9 de agosto de 2004, por volta das 23 horas. Até hoje o que se discute se foi um homicídio tramado pelo crime organizado ou realmente um suicídio, como apontam alguns. Vale informar que no  ano da sua morte Afonso liderava  a corrida da campanha eleitoral para o cargo de Prefeito de Teresina, gerando mais dúvidas relativas à sua prematura morte.

Por Antônio de Deus, advogado e JornalistaAntonio de deus

http://istoepiaui.com.br/

1 comentário em “Promotor Afonso Gil Castelo Branco: Um bravo guerreiro do Piauí”

  1. Ramilson de lima

    Afonso Gil, pôs na cadeia o policial civil do estado do Piaui de nome Cruz, conhecido por cruizão que era matador profissional e capanga dessa rapaziada do mal. Mas um dia se deram mal! Em 1997 esse cruizão foi dar cobertura de assassinato para um sujeito de codinome Ceará matar a tiros um cidadão no bairro Promorar em Teresina em 1997! Se deram mal! Acertaram um tiro no rapaz que não morreu mas em contrapartida esse sujeito ceara levou duas facadas e ficou 7 dias internado no antigo HGV. Se deram mal dessa vez! Esse tal ceara acostumado a atirar em gente em plena luz do dia… um psicopata a solto! E poucos dias depois o promotor Afonso Gil deu uma cana pesada de 2 anos nesse cruizão! Parabéns a esse cidadão que deu uma lição nesses bandidos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *