Palhaço da cara limpa

Em 2019, audiência no Ministério Público do Trabalho, presentes a procuradora Dra. Maria Helena, o autor Carlos Amorim, intimados Humberto Coelho, J. Filho, Valdeck Moraes e o advogado dos acusados. No decorrer da audiência o diretor sindical que se identificou como presidente do colegiado, J. Filho, asseverou que todos os profissionais que atuavam na radiodifusão do Piauí detinham graduação acadêmica, contestei de imediato a torpe afirmativa declarando que poderia mencionar 20 nomes de pessoas que atuam no rádio sem qualquer capacitação para desenvolver suas atividades nos veículos de concessão pública de rádio e televisão.

A procuradora no uso de suas atribuições legais determinou que eu mencionasse apenas alguns nomes, sem o mínimo esforço declinei 10. O J. Filho em um arroubo contestou a relação apresentada garantindo que em 10 dias apresentaria documentos de pesquisas efetuadas nos anais do seu sindicato contestando as afirmativas, a Dra. Maria Helena espera até a presente data o documento prometido que seria acostado nos autos.

Em virtude de minhas participações em programas de outros estados veiculados nas madrugadas, tenho o hábito de ouvir pérolas radiofônicas, como também lixos fétidos e insalubres, Teresina é exemplo tácito dessa ignomínia, um senil analfabeto, ignorante, mentiroso ao extremo, contador de estórias, causos e deboches ocupa em uma FM local lugar de um profissional, cometendo todo tipo de crimes e atrocidades que se possa imaginar, sua mente cancerosa lhe garante que sua fertilidade de palhaçadas sem graça alguma são superiores ao talento, criatividade, inteligência, desenvoltura do legendário e extraordinário Mazzaropi, é exímio em asseverar que não existe no mundo alguém de conhecimento superior ao dele no quesito rádio e televisão.

Dia 15 de novembro comemorou-se o aniversário da proclamação da República, quando o Mal. Deodoro da Fonseca em um levante destituiu o império e através do decreto nº 1 criou a República Federativa do Brasil, sendo seu vice o Mal. Floriano Peixoto, que se desentendeu com o presidente e o destituiu do poder, aí está uma pitada do que de fato ocorreu desse episódio histórico nacional.

O oportunista cuspidor de microfone apresentou outra versão para os seus 3 milhões de ouvintes, disse que Deodoro da Fonseca pediu um cargo de confiança para um parente ao imperador, o emprego foi autorizado para ser apenas apanhador de bosta do imperador, pois eles comiam muito e cagavam bastante, sendo a função desprovida de pompas Mal. Deodoro da Fonseca descontente decidiu dar um golpe criando a República Federativa do Brasil. OBS: Quem tem um professor de estória do nível mencionado aqui, tem de fato uma latrina como sala de aula de estória.

Informou que antes trabalhava em uma televisão, era produtor, programador, editor e coordenador de entrevista, foi contratado pela empresa que atua atualmente em virtude que seu patrão achou muito bonita sua voz e sua maneira inédita de fazer rádio, acrescentou que para ser um bom locutor basta levar a estória de sua vida para o estúdio, aí está o segredo do seu sucesso, tudo que faz aprendeu fazendo, executando as tarefas, contando sua estória e sabendo a estória dos ouvintes, não tem como dar errado, não precisa nenhum curso de formação. O que me deixa embasbacado é a irresponsabilidade do sindicato dos radialistas, que mentiu a uma procuradora federal do trabalho, mas concedeu registro de radialista para um analfabeto incapaz e desqualificado.

Em um bate papo com o seu parceiro declinou que uma colega da TV lhe pediu auxílio para conseguir uma cirurgia, era uma intervenção séria estando essa senhora internada no HUT, a princípio disse que não poderia fazer nada, mas lembrou de um médico amigo seu que trabalha no Hospital Getúlio Vargas, embora soubesse que a fila do SUS é inviolável, pois é fiscalizada diuturnamente pelo Ministério Público Federal, iria convencer seu amigo a dar um jeitinho para furar a fila do SUS e garantir o privilégio a genitora de sua colega.

Estou mencionando um fato divulgado em um veículo de comunicação público, quando um número gigantesco de pessoas são incentivadas com esse tipo de banditismo protagonizado por esse idiota que não tem limites para externar suas boçalidades e desinformações, graças a gigantesca impunidade que eu não sei a procedência.

Algumas dezenas de vezes testemunhei uma de suas vantagens promovidas nos microfones e na tela da rádio e TV Meio Norte, sorridente e debochativo elogiou a potência da sua caminhonete Chevrolet, ao tempo em saiu-se com essa pepita: Garantiu ter 60% de visão em um olho e 40 no outro, diariamente propaga suas prosopopeias de viagens e perambulações aos mais variados locais dirigindo sem qualquer problema, quando está muito cansado pede ao neto (advogado) que assuma o volante.

Pelo que presencio sem muita dificuldade, o Brasil é um antro de bandalheira, quando as normas, leis e regras de trânsito são desmoralizadas por indivíduo inexpressivo como o elemento denunciado. É importante que poderes e autoridades façam valer o que dispõem o código nacional de transito

Certa ocasião assegurou que o ex-prefeito Firmino Filho, o convidou para assumir a diretoria da rádio Cultura FM da prefeitura, concorria também ao cargo o jornalista Deusdete Nunes (o Garrincha), o Firmino chamou ambos em seu gabinete e disse: como os dois são muito competentes, exímios comunicadores, vou fazer o sorteio cara e coroa para definir o cargo, jogou a moeda para cima e deu Garrincha na cabeça. Moral da história: Deusdete Nunes, quando foi diretor da rádio cultura da prefeitura de Teresina, o prefeito era Elmano Férrer, verifica-se quanto esse caduco é mentiroso e descarado de forma aviltante tentando notabilizar a qualquer custo desrespeitando a inteligência alheia.

O mundo conhece o gigantesco estado de miséria e fome pelo qual sofre o povo brasileiro, desempregado,  captando carcaça de frango em lixões de supermercados e brigando em porta de açougue por um pedaço de osso, mas esse velhote mau caráter promove diariamente discursos que convencem apenas idiotas, asseverando que não existe “fome” no Brasil, na realidade o povo é preguiçoso por natureza, não querendo trabalhar lança mão a caridade pública importunando e incomodando cidadãos brasileiros. O que existe na realidade é a cultura da mendicância considerada política da falsa miséria do povo. Um indivíduo inescrupuloso que tem garantia de um grupo de comunicação para se pronunciar em um veículo de comunicação de concessão pública de forma irresponsável e desumana como descrevo aqui, é inaceitável que esse tipo de programação continue existindo.

Seria importante que esse calhorda fosse internado em um asilo, que fosse colocado a sua disposição um serviço de alto-falante sem som, para que exercitasse terapia ocupacional para não morrer de tédio. OBS. É importante informar que o decreto federal 9.329 de 4 de abril de 2018 assegura aos verdadeiros profissionais da radiodifusão do Brasil uma nova nomenclatura denominada “radialista comunicador” (O locutor é um profissional propagandista de porta de lojas comerciais).

Nesta quinta-feira (18) o poder judiciário de Teresina foi atacado de forma vil com palavras de baixo calão, cumulado com uma glosa de adjetivos pejorativos e humilhantes, quando o inútil Paulo Brito, asseverou que juízes e desembargadores são vagabundos e não trabalham, prejudicando seu neto, advogado, que denunciou ao vovozinho não ter havido audiência previamente aprazada. Por incrível que pareça o neófito advogado desconhece princípios básicos de harmonia que deve existir entre julgador e operador do direito.

Carlos Amorim DRT 2081/PI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima