O que é Adoção Responsável?

No Brasil, milhares de animais são abandonados, todos os anos. Adotar um animal é, a guarda de um animal e o cumprimento das suas responsabilidades de tutor, sem negligências. Significa uma grande responsabilidade, que implica um compromisso que dura toda a vida do animal.

É preciso pensar e avaliar bem antes de se tornar responsável por uma vida! Ao adotar, contribuímos com a diminuição do número de animais abandonados.

Sua responsabilidade com o animal é:

  • Protegê-los da fome, sede e má nutrição, fornecendo uma alimentação balanceada e adequada para a sua espécie, tamanho e idade, além de água fresca.
  • Protegê-los da dor, ferimentos e doença, levando-o a consultas periódicas ao veterinário.
  • Livre de desconforto, mantendo-o protegido do frio, chuva, calor, barulho.
  • Livre para expressar seu comportamento natural, respeitando suas necessidades próprias, sem humanizá-lo.
  • Protegê-los de medo e estresse.

Pontos importantes a serem considerados antes de adotar:

A adoção responsável precisa ser uma decisão conjunta. Em primeiro lugar, todas as pessoas que moram com você estão de acordo com a adoção responsável?

Você tem crianças pequenas ou idosos que possam não se ajustar ao porte ou às características do animal escolhido? Para a adoção dar certo, é preciso que haja consenso, assim, evita que o animal sofra algum tipo de rejeição, maus-tratos e até mesmo abandono.

Espaço Adequado. Se a espécie escolhida for cães, recomendamos que avalie se sua residência tem espaço suficiente para a espécie escolhida. Ele é um ser vivo e senciente.

IMPORTANTE: nada de correntes!

Adoção de Gato: deve-se telar as portas, janelas e sacadas para que ele não tenha acesso à rua, evitando fugas e quedas, atropelamentos, transmissão de doenças e até mesmo envenenamento. Assim, ao adotar qualquer animal lembre-se que a segurança e o bem-estar dele são sua responsabilidade! Adoção Responsável demanda Tempo

Reflita: você terá um horário livre para se dedicar ao seu novo amigo? Animais precisam de atenção, cuidados, carinho e a prática regular de exercícios físicos. Nas suas férias e períodos de ausência haverá pessoas para cuidar deste animal? Se você e sua família costumam viajar para locais onde não possam levar animais, melhor não adotar, a não ser que possam deixá-los com amigos ou em hoteizinhos nestes períodos. Lembre-se que assim como nós humanos, eles também sentem tristeza, podendo até ficar com depressão.

  • Cães presos e solitários por muito tempo tendem a ficar estressados, entediados e, com isso, acabam por “aprontar” peças para se distrair. Já os gatos dormem bastante, se adaptaram melhor com a ausência dos donos. Mas não se engane: eles também sentem a sua falta!

Dica: é adotar dois animais, para que um sirva de companhia para o outro enquanto você estiver longe de casa. Adoção Responsável Requer Paciência

Ao escolher o novo membro da família, considere sua idade, sua personalidade, seu tamanho e nível de energia do bichinho. Escolha um pet que combine melhor com você, com a sua casa e com o seu estilo de vida, assim conseguirá fazer uma adoção consciente.

Condições Financeiras:

Para uma adoção responsável, você precisa ter em mente que você terá gastos. Você está disposto a arcar com as despesas de um animal? Além de amor, alimentação e abrigo, ele vai precisar de vacinas (anualmente), vermífugos, antipulgas periodicamente e cirurgia de esterilização (castração), uma vez na vida. Sem falar que eventualmente seu bichinho poderá ficar doente. Esteja preparado para doenças e emergências veterinárias. Assim como nós, eles também geram despesas básicas com alimentação, medicamentos, consultas médicas e lazer.

Além disso, necessitam de banho, tosa, local adequado para descanso (casinhas e caminhas), roupinhas, brinquedos e em alguns casos, para melhor adaptação, o adestramento, Juntamente com os custos, entra a castração que é de extrema importância para a saúde de seu animal, pois diminui o risco de doenças, faz com que o animal fique mais calmo e caseiro, além de ajudar na luta contra a superpopulação, consequentemente, evitando o abandono. Afinal, uma gata ou uma cadela podem ter até 10 filhotes por ano, e você pode não conseguir lar para todos, além de que muitas gestações podem trazer inúmeros problemas de saúde para a fêmea.

Adoção Responsável é Um Compromisso para a Vida Toda

Vacinação:

Importante ter em mente que os cães precisarão de cuidados com vacinas durante toda sua vida. O protocolo de aplicação de vacinas deve começar ainda filhote, com até dois meses de vida. Após as primeiras 3 doses, o animal precisará de reforços anuais das seguintes vacinas: V8, V10 e V12, que serão responsáveis por prevenir várias doenças, são elas:

  • Cinomose (canina)
  • Parvovirose (Parvovírus Canino)
  • Hepatite Infecciosa (Adenovírus Canino 1 – CAV – 1)
  • Leptospirose
  • Parainfluenza

Outras vacinas recomendadas são: antirrábica, na prevenção da raiva, a Traqueobronquite infecciosa canina, que atua contra a Tosse Canina, a Giárdia e a Leishmaniose.

A vacinação nos gatos começa aos dois meses de vida, e deve ter reforço aos três meses. Depois disso, as doses são anuais. No caso deles, há quatro vacinas disponíveis: V3, V4, V5 e a vacina de Raiva.

  • Panleucopenia Felina (Parvovírus Felino)
  • Calicivirose (Calicivírus Felino):
  • Rinotraqueíte (Herpesvírus felino 1)

A V4 previne as mesmas doenças que a vacina V3, além da proteção contra Clamidiose. Já a V5, engloba as mesmas doenças que a V3 e a V4, mais a proteção contra a Leucemia Felina. A Antirrábica é igual a fornecida aos cães.

Em caso de atraso das vacinas

Caso o tutor esqueça de levar o animal para vacinar na data correta, ele deverá entrar em contato com um médico veterinário para seguir com o protocolo correto para o caso específico daquele pet. No entanto, é importante estar em dia com a vacinação do seu bichinho, levando-o sempre ao veterinário.

Monica Silva

(Projeto Uivos e Miados)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima