Nuvens pretas de agosto

Segunda-feira (28) foi realizada na câmara municipal de Teresina audiência pública, proposição do vereador Luis André, subscreveram o evento a vereadora Cida Santiago e Teresinha Medeiros, o vereador Venâncio não se fez presente. Havia uma média de 30 a 40 pessoas no plenário, o debate seria para discutir políticas de acessibilidade, interpretação em língua brasileira de sinais- Libras e audiodescrição a pessoa com deficiência visual.

O início da audiência aprazada para as 9 horas começou com uma hora de atraso, ou seja, as 10 horas. 26 vereadores não compareceram em virtude de estarem cuidando de suas particularidades, compuseram a mesa presidida pelo vereador André, um membro do Ministério Público Federal em substituição ao procurador Kelston Lages, uma advogada representando o Núcleo de Defesa da Pessoa com Deficiência da OAB, professor Antenilton representando o Conselho Municipal de Defesa da Pessoa com Deficiência do município de Teresina, senhora Deuselena administradora da Associação dos Cegos do Piauí/ACEP e professor Janilton Marques, professor da ACEP.

O protagonista da audiência abriu os pronunciamentos declinando a importância do poder público ao atendimento das pessoas com algum tipo de deficiência desse município, enumerou algumas ações do poder legislativo municipal asseverando sua disponibilidade em ajudar no que for necessário, ao finalizar seu discurso arbitrou 3minutos para cada inscrito se manifestar, percebi imediatamente a presença de estúpida contradição ao discurso realizado em virtude de ser humanamente impossível dissertar inúmeros problemas que aflige frontalmente esse contingente de pessoas com deficiência da província de Saraiva.

Ao me pronunciar rebusquei na convenção de Genebra realizada há 40 anos, para substanciar meu breve relato em obediência a exiguidade de tempo, mencionei a convenção de Nova York nos Estados Unidos, tendo a cadeirante Isabel Maior representado o Brasil. Dei algumas pinceladas na convenção da ONU realizada em Salamanca na Espanha ratificada no texto constitucional brasileiro, quando o propositor alertou o tempo de 2 minutos.

Dissertei sobre a Lei 7.853 de 24 de outubro de 1989 da lavra do então senador José Sarney, que a pedido de um amigo pai de uma pessoa com deficiência aprovou com facilidade no Congresso Nacional o Projeto de Lei regulamentada após 10 anos pelo decreto federal 3.298/1999, daí em diante o IBGE assustou o Brasil com o gigantesco número de pessoas com algum tipo de deficiência existente.

Ao enfatizar desobediência às Leis Municipais 3.526/2006 Graça Amorim; Lei 4.604/2014 Teresinha Medeiros; Lei 4.769/2015 Ricardo Bandeira; Lei 4.773/2015 Cida Santiago, nesse exato momento meu microfone foi cortado em explícita demostração de desrespeito inominável, acredito que minha postura verbal substanciada e fundamentada em leis municipais absolutamente desrespeitada pelo poder público municipal possa ter incomodado profundamente interesses de oportunistas a nos assegurar meia cuia de farinha e um pedaço de rapadura, como também a vigilância inexpressiva do MP/PI Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, lamentavelmente ainda somos considerados cidadãos e cidadãs de 5ª categoria, com base em humilhante desorganização percebida até por jumento puxador de carroça na renovada do Pádua Araújo.

Fui informado desse evento as 16h de domingo dia 27, a maioria das instituições e entidades de pessoas com deficiência não tomaram conhecimento da tal audiência pública, o fato mais humilhante ocorreu com o secretário estadual da inclusão do estado do Piauí, o excelentíssimo senhor Mauro Eduardo, que não tomou conhecimento desse evento, nem tão pouco foi convidado.

Peço a gentileza de quem possa informar as razões da realização desse triste e dantesco episódio em desfavor da cidadania de garantias de direitos da comunidade de pessoas com algum tipo de deficiência do município de Teresina.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em terça-feira, agosto 29th, 2017 às 10:43 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário