No mato sem cachorro

Dia 02 de abril, dia internacional do autista promoveram em Teresina um arremedo em comemoração a importante data, submeteram a uma sacrificante caminhada no trecho ponte estaiada a potycabana extenuando autistas, pais, parentes, professores e outros submetidos a um faz de contas.

A imprensa ávida por sensacionalismo em obediência as ordens do patrão falido, que é o governo do estado do Piauí, dando enfoque extraordinário como sendo essa província a maravilhosa Suíça europeia. O cômico se não fosse drástico é o dia a dia dos deficientes intelectuais durante todo ano. Sua sede localizada nas proximidades do Morro do Urubu, artéria violenta, perigosa e agressiva e seus delinquentes insensíveis vitimaram essa entidade inúmeras vezes, furtando, roubando e arrombando subtraindo os minguados recursos financeiros, alimentos, materiais de expediente e equipamento escolar, abandonados a sua própria sorte carente de vigia aos convênios das três esferas de governos, importantíssimos para sua existência.

Percebi facilmente nas entrevistas concedidas a imprensa a manifestação efusiva de oportunistas e exploradores desses segmentos. Senti falta da manifestação da senhora Helena Lima, fundadora dessa instituição há 20 anos, mãe de filhos com o espectro do autismo, conhecendo perfeitamente de fato e de direito as dificuldades para educar, transformando seus filhos em cidadão e cidadã honrados, dignos e competentes. Ofereço como exemplo sua filha de prenome Juliana formada em jornalismo pela universidade Federal do Piauí que não foi procurada para pronunciar “um simples pio ou uma vírgula”.

Vivemos tempos bicudos de agruras, muita dificuldade, recessão e suspensão de convênios, o que nunca faltou foi a solidariedade, fraternidade, dignidade e sensibilidade de doadores que contribuem de alguma forma para manutenção da “AMA/Associação de Amigos dos Autistas do Piauí”. É difícil prever o nível de degradação do processo inclusivo e integrativo da pessoa com algum tipo de deficiência nesse estado de índios antropófagos urbanos.

De maneira geral tendemos em altíssima velocidade a irreversível “banca rota”, quando a legislação vigente no Brasil pertencente a garantias de direitos a esse contingente é absolutamente desrespeitada, desmoralizada e descredenciada, agravando a inserção da pessoa com algum tipo de deficiência no seio da sociedade preconceituosa, discriminadora e excludente.

Em respeito a magnitude da data festiva menciono três fatos horrorosos e dantescos protagonizados por gênios da sociedade piauiense: 1 – Recentemente em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa do Piauí, o Pe. Tony Batista, declinou que mantém atendimento a mudo, cego, doido e aleijado, vergonhosamente esse pronunciamento foi aplaudido de pé pelos deputados. O agravante desse fato humilhante foi o desrespeito a convenção da ONU realizado em Salamanca na Espanha, que decidiu a nomenclatura ou denominação de pessoa com deficiência auditiva, visual, intelectual e física, texto ratificado na constituição federal do Brasil. Percebe-se facilmente que agressiva verbalização pronunciada pelo representante do clero piuiense foi um tapa na cara a 46 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência existente no Brasil, dados do IBGE censo 2010. Lembro-me da Campanha da Fraternidade de 2006 em seu tema e lema “Fraternidade e pessoas com deficiência /levanta-te e vem para o meio!”.

2 – A promotora de justiça MP-PI de prenome Míriam, em seu confortável gabinete asseverou a este jornalista com deficiência visual, que a prioridade garantida por vastíssima legislação não existe, esse direito é para mulher estuprada, criança violentada e idoso agredido. Ao ouvir esse despautério sofri ânsia de vômito e dores de parto.

3 – O radialista Joel Silva, com 50 anos de profissão garantiu em um dos seus programas de rádio que a deficiência serve para conter um mau caráter, apontou o bandido Marcos Valério, criador do mensalão, por ser muito inteligente para o crime, devia ter tido uma deficiência, concluiu seu arrobo idiota apelando de forma van ao supremo criador de todas as coisas com a seguinte exclamação “meu Deus!”

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, abril 3rd, 2019 às 9:02 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário