Nitroglicerina explode radiofonia esportiva tradicional brasileira

isabelly daniel

Créditos: Daniel Hott/América-MG

15 dias Isabelly Morais, mineira, estudante de comunicação social com habilitação em jornalismo, estagiaria há 4 meses na rádio Inconfidência Mineira em Belo Horizonte, lotada no departamento de esportes, foi agraciada com a realização de seu sonho acalentado desde quando decidiu o que queria para sua vida, sagrando-se profissional narradora de futebol, sua grande paixão.

O jogo ABC X América de Minas Gerais foi seu grande teste de fogo, desafio lançado por seu coordenador e abraçado imediatamente pela pequena gigante de 1m65. Sua estreia foi merecedora de elogios pelos grandes profissionais da mídia desportiva.

Para evitar delongas em citar nomes declino o monstro sagrado da cidade de Muzambinho Mílton Neves, rádio Bandeirantes, se derreteu de emoção e reconhecimento a esse fenômeno da radiofonia desportiva brasileira que desenvolve seu trabalho com maestria, profissionalismo e competência, apresentando sua criatividade inédita ao narrar futebol acompanhando velozes jogadas em cima do lance. Sem titubear registra o movimento dos atletas no espaço ocupado no gramado e a posição dos demais jogadores na jogada, evolui com perfeição o relato final da conclusão do ataque em definição ao gol, é privilegiada pelo raciocínio rápido em comentários envolventes no que se refere aos prejudicados com resultado do jogo que está narrando.

Estou convicto que nasceu para o Brasil a primeira mulher narradora de futebol com performance e qualidade invejável de criatividade, narrativa inédita em todos os tempos, autora de novo formato em narrar futebol como se estivesse contando uma história para alguém, seu grito de gol e bastante extenso forte e vigoroso. É a grande preocupação dos concorrentes que desesperados temem perder audiência.

Esta moça chamou atenção dos mais destacados profissionais de comunicação do país, tornou-se de uma hora para outra muito assediada, amada, solicitada e cortejada onde quer que esteja. Em pouco tempo concedeu entrevista a centenas de veículos de comunicação, todos querendo uma informação a mais do que demonstra em sua atividade profissional levada ao grande publico

No dia seguinte a vitória do América pelo placar de 2X0, tomei conhecimento da existência da Isabelly Morais, e por curiosidade acessei o áudio dos dois gols disponíveis na internet, foi amor a primeira vista, reprisei por dezenas de vezes a narrativa, o som que deliciava meus tímpanos o qual me remeteu a lembrança de memoráveis clássicos que acompanhei no estádio Mario Filho popularmente conhecido com Maracanã, o maior do mundo, com superlotação acima de 200 mil expectadores, a massa frenética pulando e gritado cuja pressão fazia tremer o gigante do São Cristóvão.

De todo esse histórico tenho em minha mente sendo a maior emoção que senti, uma jogada que o Roberto Dinamite, Vasco da Gama, na pequena área subiu para cabecear um escanteio, mudando de atitude no percurso da trajetória da bola a matou no peito, ao tocar na grama antes que a bola caísse deu um leve toque aplicando um chapéu no jogador Osmar do Botafogo, e de primeira mandou um torpedo para o fundo da rede do Bota, até a presente data é a mais expressiva emoção do futebol que carrego na minha mente e coração.

Após ouvir o espetáculo da narração dessa jovem jornalista tenho como segunda emoção registrada esse fenômeno que encantou o Brasil. A parabenizo pelo seu talento e desenvoltura em sua habilidade profissional. É uma pedra preciosa raríssima, a cada partida que narra se transforma em joia encantando o mundo. Como grande legado, motiva e incentiva centenas de milhares de moças a saírem do sonho acalentado e virem às vias de fato, enfrentando desafios, antagonismos, resistência e tudo mais que se possa imaginar promovidos por invejosos e incompetentes.

O livro sagrado nos ensina que nem Cristo agradou a todos, imaginem uma simples mortal, criticada nos estádios e logradouros de concentração de pessoas que por questões de absoluta ignorância, ausencia de escolaridade e desrespeito a dignidade humana ousam agredir verbalmente com palavras de baixo calão que gritou forte o gol em desfavor do clube de sua preferência.

Rádio Inconfidência Mineira 31 32983400 BH/Minas Gerais

Carlos Amorim DRT 2081/PI



Este texto foi publicado em terça-feira, novembro 14th, 2017 às 11:41 am na(s) categoria(s) Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário