Meta patronal, quanto pior melhor

Por ser cliente de três bancos, sou vítima de injustiça e desrespeito de violento processo de espoliação através de extorsivos juros agregados a transações financeiras, evidentemente autorizadas pelos poderes desse país.

bradescoMês passado tentei refinanciar empréstimo consignado junto ao Bradesco, apesar de haver a margem necessária, o banco se recusou a prestar o serviço pleiteado com o argumento esdrúxulo, inconsistente, irresponsável e maledicente que eu teria efetuado reclamação contra a instituição junto a ouvidoria da previdência social, por insatisfação a regras contratuais não cumpridas de um contrato anteriormente celebrado. Essa postura indigna me obrigou a mover ação judicial contra essa empresa creditícia.

cefA Caixa Econômica Federal deveria ter respeito e zelo pelo cidadão, em conformidade com mídias promocionais divulgadas que não correspondem a veracidade dos fatos no dia a dia. Um cidadão que por alguma necessidade toma serviço de penhor nessa instituição e tem a infelicidade de cometer deslize ao esquecer o pagamento de juros para o prolongamento do prazo, essa instituição negocia a joia sob sua responsabilidade sem jamais dar qualquer satisfação ao cliente. Em minha avaliação, o obvio seria que fosse emitido aviso referente a um prazo limite para evitar a perda da joia.

Há cinco dias fui surpreendido com aviso da CEF informando que minha conta poupança havia sido encerrada por esta não estar sendo movimentada em virtude da retirada dos valores contidos na mesma, fica entendido que essa instituição financeira do governo federal tem como objetivo principal ganhar muito dinheiro sacrificando e explorando a economia do trabalhador brasileiro. Os juros de meio por cento oferecidos em depósito da caderneta de poupança servem para movimentar a ciranda financeira com ganhos várias vezes superiores ao rendimento da poupança.

O risco eminente submetido aos clientes que movimentam os terminais eletrônicos em qualquer um desses bancos é gigantesco, não existe a mínima segurança possível, as portas das agencias estão escancaradas a livre prática de assalto dos bandidos, ao encerrar o horário normal de funcionamento instala-se o caos, imediatamente somem todos os seguranças, o sistema de monitoramento através das câmeras são inoperantes, muitas delas se quer funcionam. Esses bancos faturam anualmente bilhões de reais, batem recorde de lucratividade, apesar de todo esse progresso os clientes ficam a mercê da própria sorte, os banqueiros não tem o mínimo compromisso com a desgraça que se abate sobre o correntista roubado, morto e agredido dentro das agencias.

O sistema financeiro brasileiro é perverso, os que comandam esse segmento trabalham incessantemente, diuturnamente para proteger seu patrimônio vejamos: As casas lotéricas, todas estão equipadas com vidros blindados, a razão específica é simplesmente proteger com toda segurança necessária o recurso financeiro oriundo da movimentação dos negócios, enquanto o cliente fica vulnerável exposto aos mais variados tipos de violência protagonizada pelos marginais que agem impunemente.

santanderNessa segunda-feira (15) estive no Santander, com a finalidade de retirar um boleto para um pagamento, fui recepcionado por um senhor muito solícito que me ofereceu uma senha que a qualificou preferencial, expliquei aquele senhor que o dispositivo não me interessava, pois sou um homem com deficiencia visual abraçado por uma vasta legislação que me assegura o direito a prioridade, mesmo assim amarguei uma espera de 40 minutos. O calor na agencia era infernal, o sistema de refrigeração de péssima qualidade, demonstrando ser esse banco desprovido do devido respeito ao seu cliente, com o agravante demonstrado de vergonhosa e brutal desobediência a garantia de direitos a pessoa com deficiencia.

Esses fatos narrados ocorrem comigo que tenho conhecimento, discernimento e entendimento para exercitar minha cidadania com dignidade, mas tenho convicção que o mesmo procedimento que declino aqui ocorre com milhares de pessoas que por questões próprias calam-se e acomodam-se com essas injustiças lamentáveis em todos os sentidos.

Não consigo vaticinar quando todos esses desmandos serão corrigidos, arrisco-me de maneira otimista que meus tataranetos usufruirão de um sistema bancário mais humano, digno e honesto se colocarmos todas as crianças brasileiras em escolas a partir desta data.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *