Merecedor de cadeia perpétua

Domingo (12) às 9h30 me deparei com o radialista Weyden Cunha, que ancorava programa na rádio Difusora AM, na ocasião teceu alguns elogios a Polícia Militar parabenizando os policiais pela operação de altíssimo êxito, quando mataram 9 bandidos que assaltaram duas agências bancárias em Campo Maior.

Em seu imbecilizado discurso, hipócrita, demagogo e criminoso declarou em alto e bom som que a obrigação do policial é matar bandido, esse negócio de prender marginais é perda de tempo, conclamou a sociedade para fazer justiça com as próprias mãos, incentivou os ouvintes que bandido bom é bandido morto e finalizou seu torpe discurso agredindo as instituições e membros dos direitos humanos com a seguinte expressão: “Que se dane os direitos humanos”. Ao finalizar seu relinche matinal colocou no ar por telefone um ouvinte que se identificou como professor Leite, corroborando com o apresentador do programa em gênero, número e grau, acrescentando ser o poder judiciário composto por bandidos, canalhas e vagabundos, culminando com uma série de outros vômitos verbais.

O que é inconcebível de todo o descontrole, irresponsabilidade, mau caratismo e antiético é o fato de não haver nenhuma punição, repreensão ou algo que o valha para conter o desacato veemente a autoridades e legislações livremente massificada por essa emissora. Pelo que posso avaliar é de um absolutismo incomum, deixando transparecer que podem tudo, cometem abusos de todas as formas rasgando diariamente a Carta Magna brasileira.

Para culminar o indigno violento ataque a honorabilidade, representatividade a autoridade do procurador federal Tranvanvan Feitosa, o rio Rogério da Costa Soares, detentor da concessão rádio Difusora de Teresina AM, asseverou peremptoriamente que o zeloso procurador estava muito tempo calado, sumido e escondido, quando no passado era muito atuante, principalmente no governo do Mão Santa, quando esse não podia dar um peido o Tranvanvan já estava imediatamente investigando a processá-lo. Admitiu que a mudança brusca de comportamento do procurador refere-se a um cargo que seu irmão ocupa no governo do PT funcionando como “cala boca”.

Pelo que percebo, esse radialista meia tigela não tem o discernimento do perigo que corre, asseverando permanentemente de forma irresponsável, debochando da sorte, atirando no escuro para todos os lados, brincando de roleta russa, acostumado com a impunidade e sempre saindo incólume das injúrias, calúnias difamações que promovem com as mais diversificadas autoridades do estado, como também personalidades e sociedade civil organizada.

Uma concessão pública de rádio não pode ter tal tipo de procedimento como pauta principal adjetivada de linha editorial da emissora. É importante informar que o Mário Rogério é contumaz em enganar e ludibriar autoridades judiciárias, Ministério Público, e poder judiciário, quando intimado a disponibilizar cópia dos ataques recebidos para serem acostados em inquéritos e processos dando-se o desfrute de pretextos pífios, inconcebíveis, inaceitáveis e estúpidos, por exemplo o técnico de som não gravou essa parte do programa, houve pane no computador e não gravou a matéria ou edita todas os trechos interessantes que incrimina até o seu último fio de cabelo e de forma descarada encaminha o material ao solicitante.

Acredito que providências enérgicas, severas e drásticas serão implementadas para conter o ímpeto desse péssimo administrador inconsequente.

Carlos Amorim DRT 2081

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *