Me engana que eu gosto

Dia 20 sexta-feira da semana passada, a Associação dos Cegos do Estado do Piauí/Acep foi alvo de vasta matéria do noticiário policial em virtude de suposto assalto ocorrido nessa entidade. Existe um departamento de captação de recursos financeiros denominado de telemarketing que tem atribuição de importunar a sociedade através de uma equipe de telefonistas que ligam diuturnamente aos domicílios residenciais, empresas e autoridades pedindo em nome da Acep, dez, vinte, trinta quarenta, cinquenta reais com o pretexto de auxiliar cegos carentes necessitados, famintos e miseráveis, tal proposta induz as pessoas sensíveis a disponibilizarem seu rico dinheirinho a promoção de eventos absolutamente contraditórios ao objetivo propagado.

Com base em informações, esse possível evento criminoso foi praticado por pessoas que detinham vasto conhecimento da operacionalidade desse setor clandestino da Acep, pois o óbvio correto, lógico e irrepreensível seria que essa atividade fosse praticada na sede da instituição localizada a Rua Beneditinos 537 bairro São Pedro, jamais estabelecido em uma casa de conjunto residencial no bairro São Paulo sem que haja a mínima estrutura necessária para a prática de um setor essencial e estratégico de uma entidade associativa, filantrópica sem fins lucrativos, dependente do erário público e da solidariedade das pessoas que certamente não imaginam o que é feito com o dinheiro arrecadado, com um agravante, a existência de fiscalização na prestação de contas, pois todo recurso arrecadado ficava armazenado em dois cofres que foram levados no assalto em conformidade com relato das vítimas que em suas entrevistas a imprensa declararam que o prejuízo foi apenas R$100,00 e celulares dos funcionários. O correto seria todo o dinheiro oriundo desse esquema fosse depositado em conta bancária para que houvesse transparência e autenticidade na prestação de contas.

É de salutar importância esclarecer a sociedade principalmente o contribuinte que mantém essa atividade em funcionamento. Qual a remuneração dos empregados desse setor? Tem carteira assinada? Qual a carga horária dos empregados? Qual a média mensal do valor arrecadado? Como foi amplamente divulgado esse assalto seria necessário que a polícia investigasse todo esse episódio para dirimir muitas dúvidas que pairam no ar, por exemplo, os computadores foram ignorados pelos assaltantes, enquanto objeto de menor valor foram levados, se os cofres roubados estavam vazios, onde estava o dinheiro? Até onde tenho conhecimento às sextas-feiras são efetuados pagamentos de empregados e outros. Causa-me espécie que no dia do assalto surpreendentemente não havia dinheiro, essa história desse assalto é uma grande oportunidade para o Tribunal de Contas do Piauí, Feitos da Fazenda, Ministério Público e outros órgãos implementar severa auditoria na Acep, desencadeando uma devassa total  para moralizar e extirpar  esse câncer da maledicência, desonestidade, irresponsabilidade e corrupção desenvolvidos décadas a fio por essa instituição que recebe como premio por tais absurdos  a certeza da impunidade. Se fizermos uma avaliação da prestação de contas do último biênio apresentado a assembléia geral dia 8 de janeiro perceberemos facilmente tratar-se de uma fraude com anuência estúpida de quase absoluta totalidade dos associados em generalizada conivência.

O estado brasileiro disponibiliza vultosas quantias em recursos financeiros para atender projetos de associações, ONGs e fundações, é importante que a sociedade tenha o conhecimento adequado para evitar a proliferação da prática da mendicância institucionalizada por oportunistas, portanto se recuse a prática à filantropia patrocinada por doação em dinheiro, disponibilize sua contribuição a um necessitado, carente, desatendido, excluído, faminto através de algo palpável, por exemplo, cesta básica, botijão de gás, material em desuso e outros por sua própria indicação, seria muito mais importante para garantir a dignidade dessas pessoas alcançando o objetivo de contemplar com autenticidade o desprovido dessa atenção.

A eleição da nova diretoria da Associação dos Cegos do Piauí está sub júdice com base no processo cível da 8ª vara de nº 213063/2011, o presidente eleito, professor Janilton Marques não tem legitimidade para representar a Acep, pois não foi empossado em virtude da vergonhosa ausência da comissão eleitoral formada por Volmar Miranda, Vilma Alves e Ana Lúcia em 8 de dezembro de 2011, estando o cargo de presidente em vacância  em conformidade com disposições  do diploma estatutário e  do edital eleitoral invalidando todos os atos do oportunista usurpador que se autointitula presidente, professor Janilton marques Bastos. Com a palavra o estado democrático de direito e os poderes constituídos do Brasil.

Atenção: Visite página Apoiadores



Tags: ,
Este texto foi publicado em segunda-feira, janeiro 23rd, 2012 às 7:44 am na(s) categoria(s) Crítica. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário