Matando cachorro a grito

Semana passada o detentor da concessão pública rádio difusora, Mário Rogério da Costa Soares, teceu comentários referentes a revogação da condução coercitiva aprovado pelo Superior Tribunal Federal. Por conhecer o caráter, a indignidade e a irresponsabilidade desse senhor, percebi facilmente que o objetivo da manifestação tendia a desinformar a opinião pública, como tambem incentivar a desordem e a desobediência as determinações legais emitidas por autoridades policiais, ministeriais e judiciais.

No quesito obediência rigorosa aos mandados por intimação ou de busca e apreensão, por ser este moço useiro e vezeiro em tais práticas, evidentemente não poderia jamais tecer comentários diferentes, embora reconhecendo sua fragilidade de discernimento, como tambem, ignorar em grande monta as garantias ao cidadão em conformidade com a carta magna brasileira, tendo guarida a impunidade dos seus atos de desobediência e desordem diariamente promove absurdos inaceitáveis em desfavor da livre manifestação de ideias, liberdade de pensamento e expressão cerceando direitos legais de cidadão e cidadã contrários a sua estupidez verbal, ética, moral e profissional.

Por dez vezes processei esse indivíduo por injuria, calúnia, difamação e declarações homofóbicas explícitas, metade dessas demandas por insistência do MP aceitei composição conciliatória, inclusive arquivando lide em estágio de execução, todos absolutamente desrespeitados pelo réu.

No quesito falsidade ideológica, mentira e ludibriação este elemento e pentacampeão. Neste site denúncia pautada em 24/09/2011 com a manchete “inimigo da verdade”, pode-se constatar o nível de periculosidade desse cuspidor de microfone. Lembro-me que intimado pela procuradoria da república secção Piauí, transferiu seus atos de declaração homofóbica aos funcionários da emissora, como mentiras tem pernas curtas em uma retratação por determinação da justiça, quando acometido de amnesia se ateve ao fato, confirmando todas as denúncias do crime de homofobia, (áudio postado neste site CD Mistura Fina, faixa Difusora confessa crime).

Como exemplo de desobediência, descompromisso e irresponsabilidade o cidadão Mário Rogério da Costa Soares, desrespeitou por várias vezes intimação emanada pelo meritíssimo juiz de direito titular da 3ª Vara Criminal para depor em um processo como testemunha de um réu amicíssimo seu, com quem tem estreitas relações (imagine o tipo de amigo que é esse indivíduo).

Na audiência, ao me manifestar solicitei ao meritíssimo que mandasse prendê-lo ou o rebocasse coercitivamente transportado na caçapa de uma viatura da Polícia Militar, lamentavelmente a justiça que temos e ávida em cometer injustiça ou incentivar a desobediência civil.

OBS. xx: Juro perante Deus e os homens que falei somente a verdade. Para dirimir dúvidas todos os fatos aqui registrados estão nos anais das instituições afins.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em terça-feira, junho 19th, 2018 às 9:02 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário