Libras esterlinas compram colarinhos branco e preto

A normativa 28 que regulamenta os empréstimos consignados a pensionistas e aposentados do INSS é absolutamente desrespeitada por todo sistema bancário brasileiro. É necessário haver intensa fiscalização e a implementação de rigorosas penalidades as instituições financeiras que causam imensos prejuízos ao contingente de beneficiários da autarquia regida pela lei do regime geral nº 8.212.

No momento de contratar a transação financeira em consignação, todo tramite acontece em no máximo cinco dias úteis, ocorre que o ato de antecipação das parcelas por qualquer que seja o motivo, a expedição do boleto para a quitação do empréstimo é uma verdadeira via-crúcis, consistindo em inúmeras e cansativas idas e vindas aos representantes e credenciados estabelecidos na cidade.

As exigências são absurdas e estúpidas, em prazo estabelecido deve-se apresentar declaração do pleito solicitado com firma reconhecida, toda documentação pessoal, comprovante de renda, de residência e conta corrente, após a entrega da documentação o cliente é obrigado a amargar dezenas de minutos em telefone de linha congestionadíssima para simplesmente informar que deu entrada no pedido de boleto em correspondente local, então é gerado um protocolo que deverá ser apresentado todas as vezes que pedir informação.

Como forma de protelar, o prazo estabelecido de 10 dias para a emissão do documento dificilmente é honrado, no ato da reclamação pelo atraso vem a informação que o cliente deve retornar ao representante local para confirmar a emissão de documentos a matriz, pela segunda vez é refeito todo o tramite efetuado anteriormente, sendo que desta feita o representante local coloca o cliente em linha telefônica com a matriz para confirmar verbalmente todos os seus dados e outras bobagens mais que são perguntadas, por exemplo, em quantos estados já residiu, se o CPF é de São Paulo, Brasília, etc.

Após esse festival de boçalidades vem à estúpida informação que stará disponível em dez dias úteis o estrato dos valores da antecipação do empréstimo consignado no domicílio, apos o recebimento deverá fazer contato pelo telefone xxx informando recebimento do extrato e concordando com todas as informações dos valores, declinando o número do protocolo e confirmando o pedido de expedição do boleto para efetuar o pagamento. Por incrível que pareça são mais 10 dias uteis para que o banco disponibilize a remessa via correio em postagem simples.

Está nitidamente perceptível e visível que a intenção desses bancos é protelar e dificultar, impedindo o cliente  realizar o seu intento. Eles estabelecem um processo cansativo para que haja a desistência do solicitante. Enquanto acontecem todos esses deploráveis fatos outra equipe do próprio banco promove insistentes e incomodas ligações durante todo o dia de hora em hora, verdadeiras lavagens cerebrais em tentativa de induzir o cliente aceitar nova transação, como refinanciamento e outros, oferecendo vantagens que nenhum concorrente conseguiria.

Por todas as formas tentam invadir a privacidade do cidadão e cidadã exigindo explicações, quais intenções e motivos permeiam a resolução do cliente para quitar o empréstimo de forma antecipada, o fato é tão grave, humilhante e vergonhoso que muitas das vezes é necessário ser usado a falta de educação, ou seja, ao identificar a origem da ligação pede-se desculpas e desliga-se imediatamente o aparelho.

Não sei se me faço entender, mas na minha simples concepção esse procedimento refere-se a briga titânica entre concorrentes desse segmento, para que o cliente não se desvencilhe dessas arapucas com juros extorsivos, como também o mesmo não migre para outras empresas. O lamentável é que autoridades autarquias e instituições brasileiras assistem a esses abusos comodamente calados, omissos, negligentes e coniventes, de forma irresponsável deixam transparecer que são subservientes, venais, compactuando com o brutal desrespeito de poderosos, mercantilistas, usurpadores da bolsa popular de forma vil e criminosa.

São críticas reais, veementes e severas as estupidas violências cometidas em desobediência à legislação brasileira que regulamenta a vida de todos nós, como também funcionalidade de todas as atividades inerentes ao ser humano nesse país.

Denunciado o fato ao Ministério Público, mais precisamente ao Procon, que solicita prazo de 12 dias para o procedimento competente. Enfim, disponibilizada a documentação com mais de 40 dias de insistente busca, lamentavelmente ocorre o despautério de comunicado oficial do banco informando que o motivo de todo transtorno prende-se ao fato que o cliente não preenche os requisitos exigidos, quando o boleto está disponibilizado ao representante há vários dias. Fato que promove perplexidade e indignação com tal explicação.

Não há definição de qualificação ao gesto, que pode ser adjetivado de banditismo, canalhice e vagabundagem. Contribuintes, cidadãs e cidadãos brasileiros exigem providencias a quem quer que seja para corrigir esses atos. O primeiro procedimento que deverá haver é que todos os contatos efetuados entre banco e cliente sejam documentados via e-mail, para que gere termo probante, no caso de dissídio ou reparação de danos perante a justiça o simples registro através de protocolo não significa absolutamente nada. Os criminosos jamais irão apresentar provas em seu desfavor em conformidade com disposição no texto constitucional brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *