Libra esterlina contra cruzado velho

Estão contidos na constituição federal 78 artigos e 4 parágrafos de garantias fundamentais ao cidadão, todos dentro de suas especificidades importantíssimas ao exercício de cidadania, independência, liberdade e soberania. Entendo o artigo 5º e seus incisos o de maior relevância, no quesito livre manifestação de ideias, liberdade de pensamento e expressão, garantia a critica e a palavra assegurada no mais alto grau da etimologia verbal, lamentavelmente esse entendimento ainda não chegou a absoluta maioria do povo brasileiro nesses 30 anos, por vários motivos, descompromisso, omissão, desinteresse, irresponsabilidade ou as mais variadas tendências profissionais, politicas, ideológicas, sociais, religiosas e particulares.

O presidente Bolsonaro deve desenvolver processo de distribuição da Carta Magna brasileira a todas as instituições escolares, empresariais, parlamentos, denominações religiosas, instituições, autarquias e principalmente aos veículos de comunicação de massa para que os profissionais desse segmento tenham ao alcance de suas mãos o arcabouço jurídico da lei maior brasileira, para evitar que formadores de opinião em suas atuações deseduquem a opinião pública pela ausência do desconhecimento legal.

Segunda-feira próximo passado um parasita da sociedade teresinense fez ligação telefônica para a rádio Teresina FM demonstrando preocupação por minha crítica ao prefeito Fifi, adjetivado pela Lava Jato, como também a vereadora e deputada estadual eleita Teresa Brito, interrogou ao âncora do programa o jornalista Bartolomeu Almeida, que eu tinha o privilégio do apoio da emissora para me manifestar com a veemência e autenticidade que pautei minha crítica. O apresentador do programa respondeu negativamente, declinando tratar-se de uma rádio democrática.

Como direito de resposta me manifestei imediatamente para responder aquele pobre-diabo: Estou retornando para asseverar que não preciso do apoio ou da permissão de quem quer que seja para me manifestar em uma concessão pública de rádio, nessa oportunidade reconheço a importância da linha editorial desse veículo, como também, o respeito absoluto a garantia de liberdade com base no artigo 5º da constituição cidadã, agradeci e desfiz a ligação.

O âncora do programa se manifestou informando que a rádio Teresina FM é uma concessão pública, mas tem encargos a cumprir, por exemplo, tem que pagar os profissionais, a conta de energia elétrica que é altíssima, são dezenas de computadores nas redações, a incidência de impostos são altíssimos, portanto tem que haver patrocinadores com a propaganda de suas empresas para que possamos sobreviver, concluiu seu equivocado depoimento garantindo que a concessão pública concedida não paga as contas da emissora, o governo não manda um centavo para isso.

Para culminar com o brutal desconhecimento, os comentaristas presentes no estúdio corroboraram com que o âncora declinou e acrescentaram: A concessão pública não e de graça, ela é paga, fato que me causou imensa preocupação, pois é impossível essas afirmativas serem verídicas, de fato trata-se de mais um fake news de forma prejudicada. Antes de chamar os comerciais o Bartolomeu Almeida enumerou algumas cabeças de emissoras que formam rede nacional e segundo sua afirmativa proíbem a participação popular. Entendo tratar-se da independência editorial de cada produção (Se por acaso o Bonner disponibilizar o número de telefone para participar do Jornal Nacional o farei sem a mínima sombra de dúvida).

Tentando reverter esses equívocos inaceitáveis, no dia seguinte participei do mesmo programa e retomei o tema da concessão pública de rádio, fiz um preâmbulo voltado para as garantias de direitos e liberdades conquistadas pelo cidadão a suas manifestações, qualquer que fosse o tema, pauta ou explanação pública. Para facilitar o entendimento, dei como exemplo uma concessão pública do transporte urbano, sendo essa garantia de direito a operacionalidade concedida pela prefeitura, cabendo ao detentor da concessão além de cumprir as cláusulas contratuais a prestação de serviço teria que investir na aquisição dos veículos, contratação de operadores, alugar ou adquirir um espaço para funcionamento da garagem e a realização de mão de obra especializada para manutenção da frota, apesar de todo esses custos que devem ser altíssimo o empresário e motorista jamais poderá impedir qualquer usuário do sistema que adentrar ao veículo em qualquer ponto de parada, ou seja, não tem amparo legal a realização de triagem, por exemplo, o Raimundo sim, a Maria não, por qualquer que seja o motivo.

Imaginei que minha explicação seria recepcionada de forma coerente, ledo engano, ao desligar o telefone o Bartolomeu Almeida se manifestou com o seguinte argumento: O transporte publico, embora sendo uma concessão pública da prefeitura, você para ser transportado tem que pagar a passagem.

Confirma-se que as estatísticas de órgãos oficiais no quesito discernimento são verdadeiras, o que é lastimável e vergonhoso. Incentivado pelo impacto da reação do apresentador retornei a ligação e fiz a seguinte pergunta: Bartolomeu, qual é a tabela de preço da rádio Teresina FM para que o colaborador, ouvinte ou participante possa se manifestar? Desliguei para acompanhar a resposta pelo meu receptor.

Outra vez a emenda foi pior que o soneto, é mais ou menos parecido com alguém que adentra em um restaurante 5 estrelas solicita ao garçom filé a parmegiana, arroz branco, salada e purê com um filete de azeite de oliva marca carbonell e para surpresa do cliente lhe é servido uma buchada de bode, absolutamente o inverso do que foi solicitando.

Na minha avaliação ficou nítido, visível e definido que o afã do jovem jornalista era proteger ou brindar a classe patronal, pois em seu entendimento a minha manifestação era aviltante ataque ao empresário. Infelizmente temos que conviver no dia a dia com o equívoco diário entre alho e bugalho.

OBS: Declaro para os devidos fins, que o detentor da concessão pública rádio Teresina FM esta absolutamente isento da postura do profissional aqui criticado.

Carlos Amorim DRT 2081

Arquivo 4Techdays



Este texto foi publicado em sexta-feira, novembro 9th, 2018 às 9:23 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário