Lenocínio a propriedade alheia

Nesta quinta-feira (14) será fechado com chave de ouro o seminário das prostitutas do Piauí, há 4 dias, sendo realizado nas dependências do hotel Cabanas. Acorreram ao evento, representantes de instituições, entidades procedentes de várias partes do Brasil, discussões e debates versaram sobre variados temas referentes as garantias de direitos da mulher, sua atividade profissional e comércio do sexo, sendo essa atividade uma das mais antigas do mundo.

Os debatedores, especialistas, autoridades e estudiosos prestaram excelentes serviços as profissionais militantes do segmento, informando, conscientizando, socializando, incluindo e educando como preservar e assegurar qualidade de vida, segurança, saúde, trabalho, fonte de renda, previdência social, direitos humanos, família, organização sindical e outros. É importante informar que a Associação das Prostitutas do Piauí não tem atribuição de gerenciar ou intermediar qualquer tipo de ato sexual de seus membros.

Me causou espécie a foi ausencia da mídia, que se recusou de forma veemente assegurar visibilidade a opinião pública desta solenidade de incomensurável relevância ao estado do Piauí, lamentavelmente tomei conhecimento da importante promoção de direitos através do programa de rádio do Baiguel Lima, quando um ouvinte informou a realização do encontro.

Qualquer receptor eletrônico ao ser ligado exibe permanentemente matéria referente ao tal feminicídio, quando voluntárias, advogadas, delegadas, autoridades e oportunistas da sociedade civil organizada usam gigantescos espaços para promoção pessoal graciosamente a destilarem seu veneno, empreendendo violenta contenda de gênero. Por incrível que pareça esses oportunistas de plantão não se manifestaram em absoluto ao importante movimento protagonizado pela Associação das Prostitutas do Piauí, tenho convicção tratar-se de terrível preconceito da mulher em desfavor da própria mulher.

Está muito visível que as feministas defensoras das mulheres só se manifestam perante câmeras de televisão, microfones de rádio, lentes de câmeras fotográficas de jornais ou para tendenciosas pautas, matéria prima de excepcional valor para medíocres, imbecis e maledicentes venderem seu podre peixe, com o objetivo indiscutível de aparecer sem que haja razão ou motivo plausível para tal. O principal mote desses desocupados é dissertar sobre a famigerada Lei Maria da Penha nº 11.340 que serve simplesmente para empurrar a mulher para cova rasa de uma periferia qualquer dessa província.

Eu poderia declinar centenas de exemplos para justificar minha rejeição a toda essa bandalheira verbalizada diariamente através dessas ONGs, que nada fazem para proteger a vida da mulher ameaçada de morte, (um promotor tem sob sua responsabilidade acima de cinco mil processos), o objetivo único desses calhordas é se locupletarem, ganhar muito dinheiro andando para baixo e para cima em voos de primeira classe bravateando e mentindo aos quatro cantos do Brasil.

Como uma conversa puxa outra, lembrei-me de uma matéria da lavra do repórter Walcy Vieira, para rádio Teresina FM, programa jornal 1ª edição, aos gritos informou que haveria um encontro das Putas do Brasil, sendo realizado no convento das Merces em São Luis capital do Maranhão, no decorrer da matéria sorriu, brincou, chacoteou e encerrou seu quadro convocando os piauienses a comparecerem ao importantíssimo evento, Lícia Assunção, âncora do programa tambem teceu breve comentário, na ocasião talvez acometida de profunda amnesia esqueceu-se que rechaçou um comentário meu ao enunciar a putaria realizada a luz do dia na praça Mal. Deodoro da Fonseca, ato visível ao prefeito de Teresina de seu confortável gabinete.

Ao concluir e desligar o telefone a radialista foi veemente em rechaçar e desconstruir minha manifestação com o seguinte comentário: Carlos Amorim, aqui não e lugar para esse tipo de assunto, muitas crianças estão ouvindo o programa neste horário. Em virtude dessa reação ousei imaginar que míseros reais da mídia institucional do município tem importante ação em sua atividade laboral diária, fazendo com que essa jovem radialista se desvie da rota correta que deveria ser seguido pelo jornalismo autentico, honesto, digno e imparcial.

Parabenizo as putas de Teresina, do piauí e do Brasil que de forma organizada dão suas caras a tapas para sua sobrevivência, comercializando um produto que é vendável e rentável desde que mundo é mundo. Que se dane o falso moralismo, demagogia, hipocrisia e os invejosos derrotados na vida.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quinta-feira, junho 14th, 2018 às 9:33 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário