Fracassado e derrotado rema contra forte maré

No debate promovido pela TV Meio Norte com os candidatos ao governo do estado do Piauí o deputado estadual Dr. Pessoa, perguntou ao governador Wellington Dias, candidato a reeleição, que produtos alimentícios consumia em sua casa no valor de 6 mil reais por dia. A resposta veio recheada de mentiras e vitimismo, declarou não haver a mínima condição da veracidade do fato em virtude que sua família reduzia-se a 3 pessoas, o próprio, sua esposa e uma filha com deficiência.

É perceptível a existência de falsa informação como resposta, é de conhecimento público que a residência do governador é extensão do palácio do governo, permanentemente abarrotada de autoridades, convidados, assessores, imprensa e penetras, todos usam a farta mesa para tirarem a barriga da miséria. O boca livre diário é custeado pelo erário, sem dó nem piedade, lembro-me que o então deputado federal Silas Freire, falou no seu programa de televisão de nome “Bota pra moer” que havia tomado café da manhã na casa do governador, o rega bofe foi a base de café com leite de cabra, queijo suíço importado de Genebra e castanha do pará.

Com base nessas declarações, estas iguarias são dignas de um rei da Inglaterra, para culminar com o deboche e desrespeito a pergunta do Pessoa, o Wellington Dias pediu direito de resposta que foi concedido pela OAB, rechaçou a pergunta declinando que sua família merece respeito da mesma forma como a do Dr. Zezinho da Água Branca.

Tenho verificado gigantesca timidez dos candidatos questionarem as mazelas, misérias e conivência criminosa do governo, por exemplo, perguntas que não querem calar:

- 307 milhões de reais oriundos de empréstimos da Caixa Econômica, depositados na conta única que teve suas finalidades desonradas, culminando com o sumiço do dinheiro sem que ninguém saiba que rumo tomou.

- 130 milhões surrupiados da secretaria de educação que deveriam ter sido aplicados no transporte escolar mais 120 milhões usados para confecção de material gráfico sem que fosse apresentado uma única cópia xerox justificando o valor do procedimento.

- 200 milhões retidos pelo governo das parcelas de empréstimo consignado do servidor que não foram repassados aos credores, deixando todos com seus nomes sujos no SPC e Serasa.

- O atendimento do servidor do estado pelo plano de saúde hospitalar, clínico e laboratorial inadimplente, impedindo a prestação de serviço através do plano.

- Empenhos no valor de 1 bilhão e 400 milhões que não foram pagos a credores, prestadores de serviços, empresas, etc. causando falência e quebradeira a centenas de fornecedores, milhares de prestadores de serviços terceirizados, cargos comissionados e outros amargam atraso de salário de até 5 meses.

- Brutal ato de corrupção envolvendo servidores da Secretaria de Meio Ambiente-SEMAM gerando vultosa soma de milhões de reais desviado dos cofres do estado.

- O Ministério Público através do promotor Fernando Santos, inquiriu o Rafael Fonteles, ex-secretario de fazenda, para que declinasse o rombo de 200 milhões de reais que sumiram sem deixar rastro.

- Três meses de greves dos professores reivindicando 6,81% de pagamento do piso salarial gerando imensos prejuízos ao alunado propenso a perder o ano letivo do corrente ano.

Se eu fosse continuar descrevendo toda a metástase da irresponsabilidade desse governo levaria talvez um ano. O objetivo desta pauta é chamar atenção dos candidatos que se autointitulam de oposição para questionarem o governador no momento exato de suas reuniões públicas em debates, entrevistas e sabatinas. Se forem aceitas essas sugestões o Wellington Dias, inegavelmente cairá em desgraça de verdadeira banca rota. Mais quatro anos a frente dessa oca, o Piauí estará fadado a morrer por inanição.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em sexta-feira, setembro 7th, 2018 às 9:41 am na(s) categoria(s) Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário