Ex sucata humana, hoje estrela negra

Em 2006 a CNBB reconhecendo o contingente de 25 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência existente no Brasil nos homenageou com o tema e lema da Campanha da Fraternidade, “fraternidade e pessoas com deficiência; levanta-te, vem para o meio ”(Mc 3,3).

Naquela ocasião eu como diretor eleito da Associação dos cegos do Piauí-ACEP, aproveitando aquele momento ímpar falei aos quatro cantos do Brasil da importância da campanha protagonizada por uma das instituições religiosas mais respeitadas do planeta terra.  Representando a comunidade de cegos do PI. Participei de vários eventos como: seminários, encontros, palestras e reuniões, todo esse movimento com um único objetivo, levar ao conhecimento da sociedade a existência de mais de 501 mil pessoas com deficiência no estado do Piauí.

Lembro-me que em uma das últimas reuniões desta feita na residência do arcebispo de Teresina naquele ano quando foi solicitado pelo mesmo que a nossa entidade envolvida naquele encontro entraria com a disponibilização de um dos veículos para levar uma comissão a um município vizinho.  O então presidente da ACEP Aloizio Gonzaga de Carvalho Filho ao tomar conhecimento da deliberação foi ríspido em sua negativa argumentando que os veículos por força de convênios não poderiam rodar fora do município de Teresina. Em sua insanidade, vaidade, descompromisso, incompetência e irresponsabilidade ele prestou um desserviço a todos nós e desrespeitou ao pedido de uma autoridade eclesiástico.

É público e notório os desmandos desse “velho novo reacionário”, quando dilapidou o patrimônio da instituição buscou de todas as formas no mais alto grau superlativo se locupletar em detrimento da atenção e proteção que merecem os cegos miseráveis e famintos membros da instituição acima citado.

Tenho conhecimento de veículos pertencente à instituição emprestados a parentes e amigos e que eram facilmente encontrados em portas de bares e prostíbulo das periferias de Timon e Teresina existindo um agravante, quando essas orgias eram realizadas em lugares praianos contavam com a presença da velha nova “estrela negra” acompanhado da cúpula de asseclas.

Culminou com a compra a peso de ouro de um mandato para sua esposa como presidente onde ele continuou mandando, pois a referida senhora guindada ao cargo é inexperiente, despreparada e que serviu apenas de peça decorativa.

O citado professor está há quatro anos sem trabalhar sem se quer ministrar uma hora de aula, mas recebe rigorosamente em dia os seus salários. Como servidor público que é esses recursos é oriundo da sociedade.

A associação dos cegos do Piauí- ACEP fundada em 21 de junho de 1967 é mantida em sua totalidade por recursos públicos e doações oriundas da sociedade. Na minha concepção uma entidade com este perfil já deveria ter alcançado sua independência, pois afinal de contas a retrógrada cultura do “ceginho com a cuia na mão” já pertence ao passado. Temos uma vasta legislação federal que nos compara e protege cito: Lei 7.853/1989; Decreto 3.298/1999; Leis 10.098 e 10.048 de 2000; Decreto 5.296/2004 e uma série de outros benefícios governamentais que ainda não atentamos para a importância de todos eles.

Continuamos estendendo a mão à caridade pública sem que ofereçamos nenhuma contra partida isto é, proposta física materializada. Perdemos nossa credibilidade a passos gigantescos, por exemplo, quando somos ressocializados, instruídos, profissionalizados, submetemo-nos ao crivo de um concurso público, somos aprovados, nomeados, portanto somos cidadãos produtivos. Mas na maioria das vezes abdicamos desse direito de sermos produtivos, capazes, queremos continuar recebendo o auxílio invalidez indevidamente por parte do INSS quando nesse caso atingimos a nossa dignidade humana e profissional não mais preenchendo os requisitos para atender as exigências da lei orgânica de assistência social (LOAS).

Uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que em seu processo eleitoral envolve grandes cifras compra-se votos, corrompe-se, aluga-se carros para transporte de eleitores, vasta distribuição de tudo que você possa imaginar incluindo os festivais de asa de frango com farofa, fica difícil desenvolver um trabalho de educação, conscientização e informação de uma categoria como essa, pois é algo arraigado no sangue das pessoas e aquele jeitinho brasileiro de tirar proveito de tudo e de todos.

É importante informar que os cargos pleiteados não são remunerados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima