Enigmas permanentes

Há 10 dias do processo de votação me causa surpresa a ausência de atos infracionais protagonizados por candidatos bandidos, safados, calhordas e mentirosos, contumazes em ludibriar o eleitorado com estúpidas “autoestórias” de ameaça de morte oriundas de suas mentes doentias.

Em pleitos passados candidatos envolvidos em banditismo eleitoreiro alardearam estarem ameaçados de morte, lembro-me de um policial que busca sua reeleição, alardeou em todos os veículos de comunicação que bandidos incomodados com o trabalho rigoroso desenvolvido para garantir segurança a sociedade estavam a sua caça para matá-lo, após a vitória nas urnas perambulou de cara para cima em todo o estado sem sequer ter sido picado por uma abelha rainha.

Outro declinou que teria que mudar de endereço, em virtude que o bairro onde residia havia toda sorte de marginal. É importante lembrar que estes acusados no passado foram coleguinhas íntimos e muitos amados, na realidade o papo furado propagado era apenas pretexto para mudar seu domicílio para o bairro nobre, vizinhança, seleta e imóvel confortabilíssimo, de lá para cá tem se notabilizado como um autentico 1 7 1.

Um terceiro ameaçado declarou peremptoriamente que o algoz sacou a arma para assassiná-lo, só não concretizou seu intento em atenção ao pedido do seu netinho, me veio a lembrança de um falastrão assassinado em um processo eleitoral há 20 anos, será que o mesmo foi avisado de forma ameaçadora que sua vida estava em risco?

Há 20 dias o Brasil acompanhou de forma estarrecida, perplexa e estupefata o terrível atentado ao presidenciável Bolsonaro, por acaso o frio agressor por algum instante sequer almenos pensou em ameaçá-lo de morte por telefone, e-mail, mensagem etc? Tire suas próprias conclusões, quais das personagens descritas nesta pauta foram autênticas em suas mensagens declinadas e massificadas?

A presidente Dilma, em titânica briga para sua reeleição a presidente da república, em uma coletiva saiu-se com essa pérola “para ganhar uma eleição a gente faz o diabo”. O cômico de todos esses episódios promovidos nessa pauta prende-se ao fato de que os protagonistas das mesmas foram péssimos representantes do povo, principalmente de seus eleitores, todos decepcionados, amargurados e com o gosto amargo de fel no paladar.

Identifico em poucas palavras a prática criminosa de enxotar o gado rumo a urna eletrônica, sendo alimento desses animais em lugar do capim e milho receberam a mentira como alimento, é obvio que junto a essa desgraça vem a fome, miséria, desemprego, analfabetismo e a anticidadania, prato cheio e frio para garantir permanência de oportunistas e espertalhões no poder durante mais 4 anos, e dai em diante extensivo décadas a fio, usufruindo de vida nababesca e aos tolos e bobos oferecem humilhações, constrangimento, desprezo e migalhas que caem de suas fartas mesas.

A mudança que o Brasil quer, você verá após a proclamação do resultado das urnas do próximo dia 7 de outubro.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em sexta-feira, setembro 28th, 2018 às 9:27 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário