Difusora só levanta pau para Chico

Neste domingo (16) a rádio Difusora de Teresina no horário de 8h veiculou o programa Weidem Cunha, a primeira participação por telefone ocorreu 5 minutos após abertura do mesmo, quando o cidadão se identificou como professor Renato, teceu comentários pejorativos, depreciativos e de forma debochada, declinou que o candidato Bolsonaro sofreu uma facada em face de incentivar a violência, sendo a própria vítima do fato, pois prega a violencia no Brasil, na ocasião fez veemente apelo ao eleitorado brasileiro para que não vote no Bolsonaro para presidente do Brasil. Ao demonstrar sua rejeição ao candidato fez uma série de comentários prejudiciais a campanha do presidenciável enfermo, finalizou seu discurso com a seguinte frase “Viva a esquerda no poder”.

Com base na Lei federal 9.504/1997 esse tipo de manifestação e vedado, a propaganda eleitoral só pode ser realizada em horários determinados pelo Tribunal Regional Eleitoral. Ficou facilmente perceptível que o apresentador do programa Weidem Cunha, não demonstrou o mínimo interesse para impedir aquele abuso, limitou-se em criticar severamente a legislação eleitoral brasileira.

O cômico de todo esse episódio e que o radialista Luis Maranhão, por telefone tentou fazer alguns comentários referente ao processo eleitoral, imediatamente foi reprimido e repreendido pelo ancora do programa que o avisou: Você não pode falar o nome de candidato, o participante o tranquilizou dizendo que o assunto teria outro objetivo.

O terceiro participante foi o professor Leite, fazendo longa explanação referente a legislação eleitoral vigente, o processo eleitoral, a obrigatoriedade do voto, o descredito do eleitor e os candidatos de pouca repercussão, encerrou seu discurso tendo suas palavras corroboradas e apoiadas pelo Weidem Cunha, que lamentavelmente desinformado cometeu algumas gafes, lembro-me de uma delas, teve receio de divulgar uma pesquisa autorizada pelo TRE com o pretexto de que a lei proíbe tudo, não entendia como os jornais e televisões promovem livremente todo tipo de propaganda antecipada e extemporânea dos candidatos ricos.

Faço questão de levar esta pauta ao conhecimento da opinião pública em face das verborragias, hipocrisias e demagogias do detentor dessa concessão pública Mario Rogério, que alardeia diariamente respeito absoluto a democracia, como tambem, as determinações legais. Pelo que aparenta o episódio descrito, falta muito para que a rádio Difusora tenha o conceito de qualidade e profissionalismo que é propagado e alardeado de forma indevida. Acredito que se qualquer autoridade determinar a exibição da cópia do programa em questão o Mario Rogério tem na ponta da língua a resposta a ser oferecida: Lamento Dr. Capa preta não poder atender vosso pedido, pois no momento do fato pronunciado pelo ouvinte o nosso computador deu uma pane ou um problema técnico que impediu a gravação. O internauta que queira constatar a veracidade dessa afirmação acesse a matéria denominada “inimigo da verdade”, postado neste site.

Tenho convicção que o tipo de matéria negativa veiculado pela rádio Difusora em desfavor do presidenciável Bolsonaro, conseguiu causar gigantescos prejuízos de todas as fomas que se possa imaginar. Gostaria imensamente se saber quais serão as providências tomadas pelo TRE através do departamento específico, como também, medidas punitivas e severas a serem judicializadas pelos danos e incomensurável prejuízo a campanha do líder das pesquisas na corrida ao comando central do Brasil.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em terça-feira, setembro 18th, 2018 às 9:34 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário