Dedo indicador em riste usado indevidamente

Sexta-feira(14) compareci ao hospital HTI-sul para uma consulta e exames preventivos de câncer na próstata, aprazado a partir das 12 horas, ao responder minha interrogação a atendente informou que o médico não havia chegado e que o mesmo não era pontual, fui acomodado em uma cadeira, 13h10 perguntei pelo médico, resposta negativa, as 14h5 o médico não havia dado o ar de sua graça, me retirei e fui a vida sem se quer olhar para trás.

Minha primeira manifestação referente a esse descaso não poderia ser outra se não descompromisso, irresponsabilidade e incompetência referente ao exercício de prestação de serviço desse profissional de comportamento deplorável.

A imprensa brasileira e a do Piauí não é diferente, alardeia amiúde a necessidade do homem fazer no mínimo anualmente o toque retal para avaliar ou descobrir essa possível patologia de forma precoce, o que me causa espécie é que toda essa falácia é simplesmente mentirosa, em conformidade com o que descrevo nesta pauta, as dificuldades são imensas a morosidade é indecente, a rejeição a determinados planos de saúde são monumentais, quando alguns privilegiados pacientes reúnem condições para realizar sua prevenção, lamentavelmente depara com esse tipo de constrangimento público impunemente.

A qualificação de um profissional da medicina demanda no mínimo 10 anos, após formação, residência, especialização e atualizações através de palestras, seminários, congressos e outros, é prática para toda vida do profissional, o fato de todo esse esforço não assegura a manutenção de postura desrespeitosa, arrogante, intransigente e truculenta conforme fui vítima, da mesma forma que o médico tem seus compromissos os pacientes também os tem, não podendo perder seu precioso tempo esperando a boa vontade de quem quer que seja.

Provavelmente alguém há de me contestar com pretextos corriqueiros, esdrúxulos e estúpidos, por exemplo: O Dr. estava operando, o Dr. estava em uma emergência, o Dr. estava em socorro para evitar uma morte e etc. Com base na reação da atendente que informou com todas as letras, “ele não costuma chegar no horário”, essa pérola derruba qualquer álibi desse médico desprovido de cidadania e dignidade.

A pergunta que não quer calar, esse tipo de abuso é autorizado e permitido pela direção do hospital ou todos são farinha do mesmo saco? Quem teria atribuição de punir severamente esse tipo de estroinice? Portanto, é necessário urgentemente que o nobre urologista programe e organize seus atos trabalhistas para evitar transtornos, desconfortos, inquietações e decepções dos pacientes.

Em conversa com um cidadão, gari aposentado que se encontrava ao meu lado na sala de estar, o mesmo comentou que está a cinco meses esperando a consulta pelo SUS, demonstrando conformismo e resignação revelou que se fosse necessário esperaria a semana inteira por aquele atendimento. Outro cidadão sentado ao meu lado esquerdo disse ser oriundo de Tocantins pretendia receber o atendimento pagando em espécie, mesmo assim estava amargando inaceitável espera.

Percebe-se facilmente que o dinheiro em algumas situações têm o mesmo valor de peido de jumenta prenha. O cidadão brasileiro paga caro por todo produto e serviço que contrata, por incrível que pareça mercenários e oportunistas usurpam indevidamente até mesmo nossa esperança, vergonhosamente o Brasil é desorganizado no mais alto grau.

Carlos Amorim DRT 2081

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *