Data venia

Pipoca em todo Brasil veementes criticas ao poder judiciário, o descrédito da população referente a essa instituição beira a generalizada falência, cumulada em crença dos mais revoltados de uma irreversível anarquia institucionalizada no Brasil.

Todos os dias membros do Congresso Nacional externam indignados a interferência do Supremo Tribunal Federal no poder legislativo brasileiro, vários pronunciamentos foram efetuados e veladas ameaças a desobedecer determinações da mais alta corte de justiça do Brasil. Esse fato extremo merece reflexão e preocupação relativa a desintegração da harmonia entre os poderes.

Ouvi em uma rádio local entrevista da presidente do TJ/PI ao comemorar abertura dos trabalhos dessa corte para o ano 2.013, interrogada pelo repórter sobre o adágio popular que diz “A polícia prende a justiça solta” a entrevistada respondeu calma e tranquilamente que um acusado de crime colocado em liberdade é para assegurar que um inocente esteja preso injustamente.

A Corregedoria de Justiça do Estado do Piauí estará desenvolvendo esforço concentrado ao realizar mutirão que colocará em liberdade mil presos, o motivo dessa farra são os mais variados, o principal sem sombra de dúvidas é promovido pelo decurso dos prazos em decorrência de brutal desestrutura desse poder, carente de serventuários e outras milongas que um simples mortal possa imaginar, resultado, a ressocialização desses criminosos ao convívio dos cidadãos pacatos, trabalhadores e desarmados terão efeitos catastróficos nos próximos dias, mais uma vez a corda arrebenta do lado do mais fraco sendo este penitenciado a pagar as custas dessa pesada máquina carcomida, inoperante e descompromissada.

Uma delegada de polícia civil do estado do Maranhão, indignada fez bombásticas declarações à imprensa, disse estar decepcionada, envergonhada e humilhada com o descaso da justiça brasileira apoiando e apadrinhando bandidos de todas as estirpes, por isso irá migrar para outra atividade abandonando de vez a profissão pela qual foi concursada, aprovada e nomeada, mas impedida pela ingerência judicial.

Um radialista sociólogo de Teresina veiculou em seu programa matéria baixada da internet, quando um delegado do Mato Grosso do Sul muito aborrecido desafiou uma juíza a fazer o papel de polícia, por essa autoridade ter libertado delinquentes mirins de altíssima periculosidade apreendido por ele, exclamou que fez exaustivas investigações, campanas, organizou minuciosamente operação que resultou na apreensão dos menores portando armamentos pesados de grosso calibre restrito das forças especiais militares e vasta quantidade de drogas, como recompensa do risco de vida submetido juntamente com sua equipe recebeu em sua delegacia alvará de soltura dos acusados expedido pelo poder judiciário, possesso da vida bradou em alto e bom som: “eles podem fazer seus negócios criminosos na porta da delegacia, não prendo mais nenhum deles, vou trabalhar de agora em diante com criminosos adulto”, foi a solução encontrada por esse agente representante e zeloso das leis brasileira.

Os policiais em atividade do estado do Piauí reconhecem e sofrem diariamente essas mesmas humilhações, mas preferem silenciar sofrendo calado as agruras desse câncer agressivo e desrespeito brutal a todos os segmentos sociais oferecidos graciosamente por esse poder que deveria dar exemplo como missão a proteger o povo brasileiro.

Acesse a páginas “Apoiadores”.  Faça como o cantor Zeca Baleiro, ajude manter este site no ar.  Obs.: Ouça neste site CD Mistura Fina faixa 1 (Apoio Zeca Baleiro).



Tags: ,
Este texto foi publicado em sexta-feira, janeiro 11th, 2013 às 9:26 am na(s) categoria(s) Crítica. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário