Dama de ferro

O Ministério Público do Estado do Piauí está de parabéns pela postura de um dos seus membros que em suas atuações ao longo de sua brilhante carreira na defesa intransigente fiscalizando a correta aplicação das leis, protegendo e amparando pessoas fragilizadas e instituições que constantemente são vítimas de espertalhões contumazes em burlar a lei em apresentarem propostas e projetos fictícios para enganar os desatentos e auferirem indevidamente lucros para si próprios.

A excelentíssima senhora promotora Leida Diniz enquanto Ministério Público dá um exemplo para o Brasil, quando tudo parece ter uma aparencia de desorganização, desleixo, descompromisso e desinteresse como é de praxe do Oiapoque ao Chuí desse território, quando esses males acontecem com a parcimônia de todos que sofrem de uma desilusão crônica como se estivesse a bordo de um gigantesco transatlântico sem leme em um mar tempestuoso, surge das cinzas do inesperado essa autoridade que consegue se indignar com tanta miséria, descompromisso e farra com o dinheiro público, ela coloca-se com uma postura veemente contra toda essa mazela conseguindo identificar os pontos frágeis e vulneráveis de uma administração executiva apontando as áreas de prioridade absoluta para que os recursos públicos oriundos de contribuições do povo sejam aplicados onde há maior necessidade.

O carnaval é uma festa cultural muito popular que deve angariar antecipadamente recursos para a realização do desfile, deve ser adquirido junto à iniciativa privada apoio para durante todo o ano realização de efetivos eventos para o custeio dessa festa carnavalesca que deve ser importante pra muita gente. O poder público apresenta-se como co-partícipe apenas na garantia do espaço público, disponibilizando estrutura para atender a demanda de foliões.

O prefeito de Teresina Elmano Ferrer foi muito digno e coerente quando de imediato acatou pacificamente o parecer do Ministério Púbico, dando demonstração de absoluto respeito ao estado democrático de direito e aos poderes constituídos vigente no Brasil. Ao longo de toda essa discussão ouvi algumas declarações na mídia dos contumazes em usarem o nome dessa festa popular para locupletação própria, em conformidade com o depoimento de uma autoridade de uma determinada escola de samba, informou que já havia sido gasto acima de 400 mil reais, em virtude da verba de 50 mil da prefeitura não ser liberada, Teresina ficaria sem desfile de escola de samba.

Eu particularmente percebo uma contradição gritante dos valores indicados, o recurso que foi gasto e que ficará como prejuízo é absurdamente superior ao valor público não liberado, portanto na minha concepção se tais informações são verdadeiras essa gente teria condições de colocar na rua, avenida e na praça seu carnaval.

Outro caso que me chamou atenção, certa agremiação estava pretendendo ir à justiça contra a prefeitura para que fosse ressarcido o valor de 20 mil reais que foram gastos antecipadamente a possível liberação da verba pública municipal, fica explicito que há um conflito de informações referentes a valores com autentica disparidade entre si.  Certa vez alguém disse “quem se conforma com a injustiça é capaz de cometê-la,” na etimologia da palavra da frase acima citada a Drª Leida Diniz estará isenta deste pecado, pois não lançou mão apenas da lei, foi veemente digna, íntegra, correta, competente e altamente sensível com a dor de quem não tem voz nem vez.

Atenção: Leia matéria Apoiadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *