Cúpula de cuscuz de milho

A rádio Pioneira de Teresina como também a rádio Teresina FM, concessões públicas pertencentes a detentores diferentes tem desenvolvido excelente prestação de serviços a comunidade de pessoas com algum tipo de deficiencia do Piauí. A grade de suas programações contemplam diariamente a sociedade como um todo, informando, orientando, conscientizando, educando e sensibilizado para as questões da acessibilidade adequada a serem oferecidas as pessoas com deficiência em suas dificuldades da vida diária.

Lamentavelmente o governo do estado do Piauí mantenedor da fundação educativa Antares, que tem sob seu comando dois veículos, concessões pública de rádio e televisão, desrespeita vergonhosa e criminosamente a legislação vigente no Brasil pertinente a pessoa com deficiencia, refiro-me ao disposto da Lei 10.098/2000, artigos 24 e 26 absolutamente ignorados pela direção dessa instituição.

É praxe veiculação de matéria da iniciativa privada nas grades de suas programações suscitando dúvidas sobre as reais atribuições dessas emissoras. A autoridade máxima dessa fundação absolutamente descompromissada com a política de integração e inclusão de pessoas com deficiência desse estado recusa-se veementemente a garantir espaço para que as instituições e seus membros se manifestem perante a opinião pública. Lembro-me nitidamente de compromisso verbal assumido em audiência pelo senhor Fenelon Rocha, coordenador de comunicação do estado do Piauí hierarquicamente superior a presidente do sistema acima citado Núbia Ramos, não mereceu devido respeito à determinação de material educativo a ser veiculado.

A subalterna de maneira petulante, audaciosa absoluta e mal educada fez de ouvido mercador ordens emanada do seu chefe. Nesse balaio de gatos envolvendo a desmoralização de uma autoridade da comunicação do Piauí e a irresponsabilidade de uma servidora desequilibrada, fica nítido a imensa desorganização e anarquia que permeia o governo do estado do Piauí com anuência do governador Wilson Martins, tacanho e omisso desse imbróglio de exclusão, retaliação, preconceito e discriminação a 880 mil pessoas com algum tipo de deficiencia nesse estado.

Esse nefasto procedimento deixa transparecer que querem pagamento financeiro para divulgar matérias educativas de membros e instituições de deficientes na grade da programação desses veículos, que são públicos mantidos com o dinheiro dos impostos da população piauiense.

O governador para se reabilitar dos gravíssimos desmando e atitudes criminosas por parte desses setores de comunicação, deveria demitir sumariamente esses dois gestores formadores de compadrios com a coisa pública, desobedecendo e desmoralizando direitos legalmente adquiridos por entidades, cidadãos e cidadãs com algum tipo de deficiencia reconhecidamente no texto constitucional artigo 5º.

Para culminar com estúpida bandalheira no sistema Antares, sua administradora desrespeitou vergonhosamente determinações emanadas pelo poder judiciário prejudicando gravemente minha campanha eleitoral ano 2012 a vereador pelo PT do B (Carlos Amorim com o número 70 088). Para tipificar o grau de incompetência e insanidade dessa gestora, emitiu nota de resposta me adjetivando de camelô, pirateador, usurpador de produtos alheios e outros, justificou sua maledicência arguindo está obedecendo a normas políticas da instituição.

A pergunta que não quer calar é muito simples: Quais poderes sustentam esses indivíduos nesses cargos causando tantos malefícios e gerando imensos prejuízos ao estado do Piauí e ao seu povo? Meu lenitivo é que falta muito pouco para que tomem o caminho da rua da amargura definitivamente.



Tags: , , ,
Este texto foi publicado em segunda-feira, agosto 26th, 2013 às 8:36 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário