Conivência e omissão de poderes igual a impunidade

Presto aqui uma homenagem póstuma a um deficiente físico, Claudemir assassinado violentamente em cima da faixa de pedestre situado na frente do Teresina shopping. Farol semafórico aceso, sinal sonoro acionado, o condutor de um auto em altíssima velocidade por ter a certeza da impunidade protagonizou o desastre acima descrito.

Lamento profundamente a promoção do Dr. Ricardo Freitas guindado ao cargo de Superintendente da STRANS que tem prestado um desserviço aos vários tipos de pessoas com deficiência, especialmente a visual. Apresento documentos abaixo que confirma minha indignação, dos mais variados descasos nas vias e logradouro do município de Teresina cito, estacionamento de veículos em calçadas com a permissão dessa autarquia, sinais sonoros silenciosos na Av. Frei Serafim, quando se não fosse trágico seria cômico a proibição absurda com o parecer técnico da STRANS proibindo a sinalização dos seis cruzamentos ao longo daquela via de alta rotatividade desrespeitando o disposto na ABNT 9.050, lei de acessibilidade 10.098 no artigo 9º que obriga esse tipo de sinalização. Os sinais sonoros existentes servem apena a dar satisfação a opinião pública por não atenderem as nossas necessidades de trafegar na via sinalizada em segurança.

A nossa solicitação feita ao centro de apoio operacional de defesa da pessoa com deficiência/MP-PI solicitando a instalação de sensores antecedendo os citados sinais com o objetivo de coibir a invasão e desrespeito dos condutores de auto, tendo também o critério de punição como multa. Em audiência para discussão da ação levada a termo por mim então diretor da Associação dos Cegos do Piauí- ACEP a STRANS negou-se veementemente a atender aquele pleito e impôs uma exigência absurda, que a coordenadora pedisse informações a uma série de departamentos com atribuições em acidentes de trânsito, que deveria ser informado a STRANS quantos acidentes houveram nas faixas de pedestres sinalizadas que envolvessem cegos (pasmem os senhores, a coordenadora promotora de justiça do Estado do Piauí Marlúcia Gomes Evaristo aceitou todo esse imbuste e pediu informações a delegacia de acidentes de transito, ao serviço que  presta o SAMU em atendimentos a acidentes e aos pronto socorros de Teresina.

Quero saber que providencias foram tomadas em relação ao redutor de velocidade na Rua Beneditinos em frente ao número 1522 onde os condutores de auto imprimem uma grande velocidade colocando em risco a vida de centenas de cegos inclusive o histórico de cego é como vítima fatal.

Os sinais luminosos e sonoros que foram prometidos para as entradas e saídas dos estacionamentos de veículos proliferados em nossa cidade. A proposta de distribuir panfletos para a população como substituição dos sinais sonoros qual o resultado pedagógico e prático dessa ação? “preciso saber”.

Os pontos sinalizados com rampas ou rebaixamentos de guias que são ocupados por veículos confortavelmente estacionados. Que tipo de repressão tem sido efetuado pela STRANS? Estacionamentos privativos para deficientes ocupados indevidamente por outros veículos como tem sido combatido pela STRANS?

No caso do sinal localizado na Av. Barão de Gurguéia no trecho compreendido entre as ruas Pedro II e Beneditinos a STRANS informou ao MP-PI ter constatado através de seus agentes várias irregularidades ali cometidas, o descaso é tanto que nenhuma providencia foi tomada mesmo tendo a instituição o conhecimento da arbitrariedade.

A faixa exclusiva do lado direito da Rua Beneditinos no sentido Barão de Gurguéia ao nº 537 sede da ACEP, prometido há três anos até agora nada absolutamente nada.

Com a inquietação demonstrada no início desse texto presto aqui minhas saudações fúnebres a superintendência de transito de Teresina.

Obs.  Existe co CD “Olho de Águia – projeto educativo” as faixas 22 e 23 que é fundamental a sua atenção ao conteúdo dessas matérias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima