Chorume do poder da força

O diferente deve ser tratado como tal, ou seja, de forma diferente, fato legalmente assegurado em todas as convenções da ONU realizadas em vários países, sendo a primeira em “Genebra na Suíça e a última em Salamanca na Espanha”, cuja redação foi ratificada na constituição brasileira.

Um importante jurista brasileiro residente em Porto Alegre -RS, motivado por uma das minhas participações em rede de rádio, fez contato via telefone interessado em detalhes das denúncias para o Brasil, abraçado por razões e motivos plausíveis, límpidos, cristalinos e autênticos adjetivei o então prefeito de Teresina Firmino Filho, como sendo o maior canalha do mundo, incompetente e perseguidor aos que pensam diferente do que ele tem em sua cabeça de bagre.

Ancorado em uma irresponsabilidade do Ministério Público-PI através da 28ª Promotoria, defenestrou de forma criminosa o Projeto de Lei nº 44/2017. Seu palavreado chulo e desconexo eivado de incoerências, ignorâncias, etc. como fundamentação nociva a justificar o injustificável e explicar o inexplicável indevidamente abraçado a legislação que desconhece, cometendo estúpidas aberrações.

Gostaria de saber o que o Firmino entende de política de acessibilidade para descredenciar, desmoralizar e desconstruir uma inovação tecnológica inédita no Piauí, Brasil e nos países signatários do “INPI”, quando justifica sua falta de respeito ao mencionar que a patente “prato e talher adaptado a deficientes visuais” é um objeto segregatório, embora anteriormente fiz matéria que denominei “contradição e pretextos para prejudicar”, onde realizei uma série de interrogações referentes ao desenho universal, sem que uma única resposta me fosse oferecida. Efetuo dessa feita meia dúzia de interrogações para que o internauta entenda a classe de bandido que esse ex-prefeito pertencia, vejamos:

-A imposição da tecnologia moderna a obrigar a pessoa com deficiência visual manusear os sintetizadores de vozes;

-A obrigatoriedade do ponto universal na tecla de nº 5 nos celulares e terminais bancários, identificador de senha para orientação da pessoa com deficiência visual;

-O Soroban, peça fundamental para a pessoa com deficiência visual efetuar cálculos matemáticos;

-A Reglete, obrigatória a pessoa com deficiência visual para a escrita Braille, como também “Pulsão”, dispositivo para a pessoa com deficiência visual exercer a escrita;

-A Bengala, acessório indispensável a locomoção da pessoa com deficiência visual, criatividade de um inventor disponibilizada aos que dela necessitam;

-A obrigatoriedade de 10% de reserva em hotéis para pessoa com deficiência, assegurado em lei federal;

Ficaria dias a fio declinando as garantias de direitos legalmente constituídos a 1/3 da população brasileira com algum tipo de deficiência. Exijo revisão corretiva do ato desse idiota, com base em seu imbecilizado veto o descrito é procedimento de segregação? É importante que o derrotado Firmino Filho, em companhia da digníssima senhora promotora de justiça do PI Janaína Rose Ribeiro Aguiar, se atualizem, se informem e se qualifiquem para não cometerem tantos desatinos. 

Não posso deixar de registrar a indecência do parecer proibitivo a instalação de sinais sonoros ao longo da Av. Frei Serafim, em vergonhosa e humilhante desobediência a Lei Federal 10.098/2000 artigo 9º, como também a ABNT 9.050 da lavra da titular da 28ª Promotoria, o abuso de autoridade perdura de 2007 a apresente data.

Na gestão do prefeito repudiado nas urnas, Teresina sagrou-se o paraíso do lixo na via pública, carros estacionados em todas as calçadas da província, esgoto a céu aberto, fossas estouradas na via pública, buracos e crateras em todas as vias. A lei das calçadas que impõem padronização nivelada, ao longo da permanência do indigno gestor executivo serviu apenas a propaganda enganosa produzida na mídia de Teresina. Seria cômico se não fosse trágico que esse gênio da ignomínia assinasse um veto diferente do que protagonizou.

Temos uma nova gestão na prefeitura Municipal de Teresina, prefeito José Pessoa Leal, levarei esses fatos ao conhecimento do mesmo, para as possibilidades de um indicativo a Câmara Municipal para uma nova votação, corrigindo a indecência do  ex-prefeito.

Concluo os elogios ao ex-capacho do Ministério Público-PI, deixando evidente que ambos desconhecem as garantias e proteções emanadas da lei do desenho universal, em virtude dos descarados pretextos expressados em suas laudas de formas contraditórias, equivocadas e inexpressivas.

Gostaria que o internauta verificasse o disposto na Lei Federal nº 13.146-15 artigo 74, é verdadeiro tapa na cara do Firmino, cumulado com o coice de burro bravo ao Ministério Público do Piauí através da 28ª Promotoria.

Carlos Amorim DRT 2081/PI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima