Censura em nome da democracia

Em virtude de minha experiência ao longo de 40 anos no segmento de comunicação e conhecendo minuciosamente os meandros dos bastidores de produções jornalísticas em suas diversificadas pautas, percebo facilmente os modus operandi dos indivíduos que militam diariamente ancorando diferentes projetos e propostas previamente elaboradas para enganar e ludibriar a opinião pública na venda de ilusões, inverdades, enganações, gato por lebre e a criminosa imposição de severa censura ancorada por pano de fundo travestido de democracia e respeito imponente as garantias de liberdade de pensamento, expressão e livre manifestação das ideias, determinado pela constituição federal do Brasil.

Diariamente os ouvintes de rádio são bombardeados por indecorosas bravatas, exemplo: Só nesta emissora FM rapa de panela, dá direito a você se manifestar livremente. Outra garante: Aqui na rádio FM Benesse, não tem censura. Uma terceira assevera: Nossa rádio FM pinico de barro, é a única que soluciona seu problema, ligue-nos, teremos o máximo prazer em atendê-lo.

Ocorre que todas essas ofertas vilipendiadoras, desonestas e fraudulentas na realidade são verdadeiros estelionatos, muitas anunciam o número do telefone, mas o mesmo continua bloqueado, algumas disponibilizam o número, o participante completa a ligação, mas amarga dezenas de minutos a espera da boa vontade do imbecil que por interesses contrariados ou incompetência promove inominável constrangimento a manifestação do ouvinte, geralmente a ligação e desfeita intencionalmente.

Existem situações que o cidadão carente tem seus créditos consumidos rapidamente, o impossibilitando de tecer qualquer comentário. O criminoso dessa postura é a afirmativa inconsequente e insustentável, de forma descarada anunciam que a ligação caiu, em seguida vem a indecente justificativa apelativa, refaça sua ligação por favor, temos imensa alegria em atendê-la, o ignorante vitima desse tipo de descompromisso irresponsável aceita pacificamente as indecorosas posturas, geralmente trata-se da massa ignara, desprovida e excluída.

É desnecessário informar que todas as atividades humanas para que tenha êxito é premente o movimento da mola mestra chamada dinheiro, é evidente que qualquer veículo de comunicação, o mais reles que se possa imaginar tem seus compromissos que garantem o seu funcionamento, indubitavelmente atrelado a apoios, patrocínios e mídias institucionais, existem as determinações, proibições e advertências de quem pode ou não participar da programação da emissora sem causar prejuízo, o famigerado ato em desfavor as garantias de direito do artigo 5º.

A classe patronal de forma generalizada, coage, humilha e obriga os profissionais a manterem rigorosíssima censura, umas mais agressivas, outras suaves e algumas fazem a política da boa vizinhança buscando influenciar interativamente com o objetivo de desvirtuar e desviar o objeto da pauta do participante. É nítido a veiculação de entrevistas manipuladas, preestabelecidas, tendenciosas negociadas com radialistas e com o departamento comercial apoiado evidentemente pelo detentor da concessão pública, que muita das vezes não tem nenhuma qualificação na área da comunicação, vendedor de notícias e informações fraudulentas, ávidos simplesmente por faturamento para saciar sua fome mercantilista.

Tenho conhecimento de alguns profissionais da comunicação, radialistas e jornalistas que diariamente colaboram voluntariamente com informação abalizada participando por telefone da programação de emissora de rádio, cito: Eduardo Lopes, Josenildo Melo, Gregório de Matos, Chico Costa, Pádua Araújo, Carlos Amorim, Luis Maranhão, Paulílio Daniel e outros.

O grande prejuízo dessas indecorosas posturas afeta frontalmente o calouro que chega com muita esperança, vontade de realização, projetos, vontade de evoluir e rapidamente se decepcionam com posturas devastadoras dos que preocupam-se apenas com o seu umbigo, individualistas, egoístas, ambiciosos e vilipendiadores da boa fé do colega inexperiente. Recentemente ouvi um comentário em uma rede de rádio, afirmando peremptoriamente que censura nunca mais, discordo em gênero, número e grau a incisiva existência tão necessária, tão requisitada e tão solicitada censura neste momento atual que vivemos, graças a tecnologia moderna da informação.

Eu poderia citar um milhão de casos em todo Brasil, vou me limitar apenas a um único exemplo, programa levado ao ar de 7 as 8 da manhã ancorado pela radialista Cinthia Lages, faça o teste dos 9, envie um WhatsApp no horário mencionado e decline que o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva terá sua sentença confirmada pelo colegiado da Região no Rio Grande do Sul e mofará na cadeia eternamente. Se essa medíocre radialista ler essa manifestação darei ao contemplado um pinico de ouro como prêmio.

Tenho convicção que mal educada como é, tecerá comentários agressivos e deletará o texto, esta prática não e privilégio apenas dessa pobre coitada é conceito de procedimento geral em todos os programas.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, janeiro 24th, 2018 às 10:39 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário