Cego rasga carta de juiz

Aloizio Gonzaga de Carvalho Filho, quando presidente da associação dos cegos do Piauí- ACEP desobedeceu criminosamente determinações judiciais.
Em outra ocasião ludibriou o julgador de um processo onde o mesmo constava como réu quando através do seu patrono acostou nos autos do processo um recurso informando a sua ausência de Teresina. A vítima em audiência ao tomar conhecimento deste crime para protelar a instrução do processo e tendo certeza de que o réu estava passeando em Teresina encaminhou um donativo com respectivo recibo a Associação dos Cegos do Piauí- ACEP que deveria ser assinado no ato da entrega pelo então presidente, o resultado foi positivo.
Para completar o seu despautério o referido presidente enviou aos veículos de comunicação de estado do Piauí nota a imprensa que segundo ele, determinou que a vítima não podia em hipóteses alguma se manifestar nos referidos veículos, desrespeitando violentamente o disposto no artigo 5º da constituição federal que garante a todo cidadão brasileiro liberdade de expressão.
Lamento informar que todos esses fatos foram protagonizados por um elemento que se auto intitula de professor.
Outro fato deplorável, uma caderneta de frequência escolar assinada como entrada às 15h e saída as 17h, e essa mestra é encontrada as 14h em um bar tomando cerveja há mais de 10 km de seu local de trabalho. Pede-se explicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima