Carnaval, salvação de Teresina

O corso de Teresina que foi considerado o maior do mundo, nessa edição de 2018 foi verdadeira decepção, com número irrisório de caminhões, inferior a 30, a multidão de incautos que acorreram a Avenida Raul Lopes transformou-se em plateia de políticos oportunistas, politiqueiros profissionais a décadas em explorarem a miséria e a fome do povo, transformaram o evento em autentico corpo a corpo em busca de votos.

O Fifi, prefeito de Teresina não perdeu oportunidade em apresentar suas mentirosas promessas, garantiu que no primeiro dia útil da semana lançaria edital para garantir a presença das escolas de samba no carnaval do ano que vem, somente após estas eleições, como trata-se de um mentiroso de carteirinha, quando for cobrado por esta embromação dilatará o prazo para 2020 e assim sucessivamente.

As televisões das Arábias fizeram verdadeiro festival de enganação a opinião pública, conclamavam a população a ir fazer papel de besta, perambulando pela avenida sem destino com a cara para cima andando sem destino, anunciavam que estavam vivenciando a maior festa do mundo uma coisa fantástica, maravilhosa muita alegria e felicidade de todos. Uns anunciavam haver 500 mil pessoas no local, outras 400 mil, sendo os mais contidos quase que 300 mil. Todas essas projeções maravilhosas foram desmoralizadas pelo Flávio Abreu, secretário de segurança, que em entrevista concedida a rádio Antares AM, declinou o número de 200 mil com base em cálculos técnicos de especialistas presentes no acontecimento.

A falácia de que não houve um único incidente ou ato de violência trata-se de verdadeira utopia, em virtude de comentários de pessoas do meu conhecimento que presenciaram dezenas de entreveros promovidos por indivíduos drogados, alcoolizados e descontrolados, esses episódios foram ignorados pela imprensa que cobria a festa da tranquilidade dos deuses.

É importante que seja questionado de onde partiu o recurso para custear tamanha orgia pública, tenho convicção que foi proveniente da mídia institucional municipal pelos rasgados elogios tecidos ao prefeito Fifi. A imprensa chapa branca tendenciosa, mercenária e descompromissada fizeram festa com bastante feijoada, sendo o jabá o ingrediente principal, dessa forma tiraram a barriga da miséria.

O que é gravíssimo de todo esse procedimento e o péssimo exemplo que esse bando cuspidor de microfone oferece aos que estão iniciando suas vidas profissionais, reconhecem com esse desastre que jamais conseguirão ser profissionais dignos, honestos corretos, autênticos e produtivos, em sua absoluta maioria dotados de caráter de cidadania abdicarão de suas formações e se capacitarão para outra atividade.

Foi divulgado pelo MEC os 10 cursos preferidos pelos aprovados do último Enem, a comunicação e jornalismo ficaram fora da preferência, é nítido visível e facilmente identificável que o motivo são esses fatos deploráveis protagonizados por caducos e decreptos, totalmente ultrapassados, vencidos, obsoletos para comunicar com dignidade e profissionalismo.

É vexatória a situação do Brasil em todos os campos das atividades humanas estão contaminados pela ausência da ética, moral, responsabilidade, honestidade e absoluto respeito ao semelhante desinformado.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em terça-feira, fevereiro 6th, 2018 às 9:40 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário