Bem-estar animal e programas educativos

Em vários países, programas educativos sobre bem-estar animal vem ensinando crianças de todas as idades respeitar os animais e evitar maus tratos e abandono. A ideia é levar à percepção de que os animais são seres sencientes, capazes de sensações e sentimentos, e de que seus direitos devem ser garantidos e respeitados por todos.

Segundo o especialista em comportamento animal Ricardo Leon, esses projetos deveriam se estender em todo país, pois estudos apontam que a relação entre cães e crianças pode estimular o raciocínio, concentração, autoestima e a interação social, além de ensinar a respeitar os animais desde cedo.

Nós do Uivos e Miados apoiamos projetos educativos para crianças, e iniciamos um projeto educativo sobre a causa animal na comunidade Júlio Otoni (RJ), esperamos que essa iniciativa transforme a consciência das pessoas, mudando assim a realidade desses seres inocentes.

Em algumas escolas do RJ, SP e MG estimulam contato de alunos com a natureza, desenvolvem estratégias e atividades para aproximar as crianças de animais e plantas, e assim, despertar a sensibilidade. Algumas instituições têm um rancho com animais, como araras, cabras, bodes, jabutis, pôneis, galinhas, pavões e até jiboia. Essa iniciativa começou ao perceberem que o afastamento do mundo natural poderia prejudicar a curiosidade, a capacidade de observação e a interação das crianças.

O Programa geralmente se divide em vários módulos e dura cerca de duas horas cada aula. Devido as políticas públicas de ações voltadas para o manejo de populações de cães e gatos, São Paulo e Conselheiro Lafaiete em Minas Gerais foram reconhecidas como Cidades Amigas dos animais no ano de 2019. O prêmio reconhece as melhores estratégias utilizadas pelos municípios latino-americanos para lidar com populações de cães e gatos. São Paulo e Conselheiro Lafaiete em Minas Gerais fizeram o exemplo com grandes avanços no manejo de populações de cães e gatos.

Acredito que parceria com clínicas veterinárias credenciadas, organizações não governamentais, organizações da sociedade civil, escolas e unidades móveis de esterilização e educação em saúde, somada às estratégias multidisciplinares e novos protocolos de atuação são ações importantes de transformação. Esperamos que iniciativas assim sejam um exemplo a ser seguido em todo o mundo. Os animais também devem ser levados em consideração.

Mônica Silva

(Projeto Uivos e Miados)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *