Bartolomeu Almeida, censor da rádio Teresina FM

Dia 20 de janeiro do corrente ano efetuei ligação telefônica para o programa jornal de Teresina 2ª edição, veiculado pela rádio Teresina FM 91,9, o âncora do programa Bartolomeu Almeida, ao atender a ligação fiz minha saudação de praxe, sendo surpreendido por intervenção do apresentador dizendo: — Carlos Amorim, tenho um recadinho para você, a direção da rádio não aceita palavras agressivas, você não é bem-vindo ao programa, não pode mais participar, está dado o recado. Tentei argumentar(não estou preocupado). Fui retirado do ar abruptamente de forma humilhante e criminosa, é evidente que tomarei todas as providências que forem necessárias para ser ressarcido de inominável constrangimento público e dano moral pertinente ao caso.

Reconheço no Bartolomeu Almeida um indivíduo oportunista, aético e farsante, propaga aos quatro cantos ser acadêmico do curso de direito, por incrível que pareça deve rever a concretização do sonho de ser um advogado. É perceptível em seus esporádicos comentários referente ao CPP e CPC, é visível a ausência do mínimo conhecimento. O caso em baila demanda uma reflexão de gigantesca monta em virtude da agressividade demonstrada, em primeiro lugar, a comunicação é via de mão dupla, especificamente quando trata-se de agredir a honorabilidade de um cidadão o identificando nominalmente e o acusando indevidamente sem que seja assegurado as garantias da Carta Magna brasileira, Lei 12.527/2012 e Lei 13.888/ 2015, como também, o disposto no artigo 5º, direito a liberdade de pensamento e expressão, direito ao contraditório, direito a defesa, direito a presunção da inocência e direito ao devido processo legal.

O abuso que fui vítima desmonta a falácia propagada amiúde pela rádio Teresina FM, ao garantir o absoluto respeito a democracia e prioridade a manifestação do ouvinte. Até a presente data não tenho conhecimento da acusação a mim imputada, pergunto ao Bartolomeu Almeida: O que é palavra agressiva? Entendo que o ônus da prova é de atribuição de quem acusa), sem muito esforço ouço diariamente aberrações e palavrões de todos os níveis por parte de ouvintes, como também, de profissionais contratados pela emissora:

O presidente da República Federativa do Brasil é achincalhado de forma vil, adjetivado de assassino, genocida, negacionista, bandido, doido e irresponsável;  —Os parlamentares filhos do presidente são julgados por crimes cometidos pelos mesmos por ouvintes e jornalistas; — O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, além de todas as denominações que lhes são dirigidas na rádio Teresina FM, agressiva e pejorativa, sofre o crime de injúria, quando é qualificado como ladrão de (nove dedos) com amparo da Lei 13,146-7 LBI – Estatuto da Pessoa com Deficiência (a deficiência de uma pessoa ela é inquestionável); — O governador do estado do Piauí Wellington Dias, é pauta diária no quesito agressividade e palavras de baixo calão, acusado sem provas de roubar verbas do ministério da saúde para combate a Covid; — As inserções policialescas é algo inominável principalmente as considerações a mulher acusada de delito, os adjetivos são maravilhosos: vagabunda, bandida, ladrona, puta irrecuperável e outros; — O poder judiciário é homenageado todos os dias, acusado de libertar bandido preso em flagrante, acrescido da célebre expressão (a polícia prende e a justiça solta); — O menor infrator é agredido todos os dias, quando os justiceiros da emissora asseveram que esses criminosos mirins não tem recuperação, portanto deveriam ser eliminados pela sociedade e policiais; — O novo sistema orientado por comentaristas da emissora é que a Polícia Militar ao prender bandido tenha a obrigação de leva-lo até a delegacia de flagrante cantando música suave para não estressar os marginais, entendo tal propósito como forma de humilhar a briosa Polícia Militar  do Piauí; — Um ouvinte especializado em elogiar a polícia Militar como sendo a polícia mais educada do Brasil. tratando bandidos a pão de ló, o correto seria executar o bandido no ato da prisão o matando com tiros na cabeça, apenas e tão somente dessa forma o juiz de custódia não prestaria desserviço a sociedade.

É importante informar aos ignorantes e maus intencionados que o estado democrático de direito brasileiro permanece ativo com os poderes constituídos prestando relevantes serviços a nação, portanto os indivíduos de qualquer extirpe, raça, cor, credo, religião com poder aquisitivo ou faminto, são submetidos ao crivo determinado pelo arcabouço de leis que regem a nação, aqueles que pensam ao contrário as portas largas do suicídio é a solução.

Garantido por amplo direito de liberdade vilipendiado por indivíduos e instituição desprovidos de mínimo conhecimento para respeitar cidadãos e cidadãs, asseguro a rádio Teresina FM 91,9, dentro dos preceitos legais não peço favor, exijo a respeitabilidade aos meus direitos de forma absoluta, doa a quem doer.

Carlos Amorim DRT 2081/PI

BO

1 comentário em “Bartolomeu Almeida, censor da rádio Teresina FM”

  1. Como radialista, jornalista e poeta, defensor do direito à informação e a liberdade de expressão, refuto todo e qualquer tipo de censura aos ouvintes ou telespectadores, por entender q uma sociedade saudável e democrática permite amplamente o exercício do contraditório e da liberdade de opinião.

Deixe um comentário para Marco Aurélio de Morais Siqueira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima