Bandalheira ilimitada na Difusora

Nesta terça-feira (2) me deparei com o comentário de um indivíduo na concessão pública rádio Difusora AM agredindo de forma vil o poder judiciário do Piauí, quando declarou que juízes e desembargadores são bandidos, todos são bandidos, dentre outros adjetivos humilhantes, agressivos e criminosos, lamentavelmente o detentor dessa concessão pública de rádio Mário Rogério da Costa Soares, que ancorava o programa, procedeu como se nada estivesse acontecendo de grave.

O jornalista Pedro Tamanco, de forma acanhada solicitou gentilmente ao desprovido participante que desse o nome dos juízes envolvidos na sua denúncia, acredito que não salvaria ninguém pelo percentual que foi massificado entre 80, 90% da casta comprometida. O que me deixa embasbacado é que essa emissora fundo de quintal promove e incentiva esse tipo de crime hediondo enxovalhando a honra de autoridades e sociedade civil organizada, de forma aviltante, instituições, entidades e poderes constituídos são vítimas diárias desse antijornalismo. As demandas policiais e judiciais que responde ao longo de 19 anos tem logrado êxito e saído incólume das estroinices que comete, no afã de obter notoriedade perante sua reles plateia.

Recentemente o indivíduo contumaz em desagregar, desacatar e desmoralizar a todos indistintamente declarou em alto e bom tom em sua participação por telefone ser homofóbico, e não tolera viado, na oportunidade fez algumas observações como: O viado agora tem outro nome não se pode mais falar que o viado é viado. Para superar toda sua maledicência, qualificou Angela Merkel, como velha e gorda, verdadeiro desacato a dignidade da mulher, como também, desrespeito inaceitável a uma autoridade de conceito mundial, não entendo a omissão e negligência dos órgãos fiscalizadores por agraciarem essa emissora com impunidade de forma indecente pelo desserviço a informação, deseducação a opinião pública.

Tenho convicção e absoluta certeza que o Mário Rogério da Costa Soares, na primeira oportunidade que for chamado a responsabilidade pelos horrendos fatos que comete no quesito conivência, se defenderá com o seguinte argumento: Não posso proibir a manifestação pública. Por incrível que pareca esse radialista tupiniquim impõe severa censura aos microfones da Difusora. A garantia legal assegurada no texto constitucional artigo 5º não tem valor perante essa repetidora da rádio Bandeirante de São Paulo.

A exigência do detentor dessa concessão é que todos os participantes pensem igual a ele, essa obrigatoriedade vale para conhecidos, desconhecidos e empregados da rádio, tanto os que tem salário quanto os que trabalham de graça.

Carlos Amorim DRT 2081

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *