Banca rota explícita aos togados

Ao ser contemplado com bolsa integral para cursar direito recusei-me veementemente recebê-la, convocado a explicar inusitado motivo para recusa fui enfático em afirmar, atividade laboral de advogar, como também a operacionalidade da justiça estão prostituídas no mais alto grau superlativo.

Para corroborar com meu pensamento, nos últimos dias verificamos exemplos vexatórios, humilhantes, preocupantes e criminosos envolvendo membros do poder judiciário brasileiro, vejamos:

Um juiz federal foi flagrado usando um dos carrões do Eike Batista, indivíduo condenado pelo juiz trapalhão que de forma ousada, petulante e audaciosa confiscou um piano de cauda para usá-lo em sua residência.

Um ministro do superior tribunal federal concedeu entrevista declarando que o procurador-geral da república é desclassificado, desconhecedor da legislação, incapaz para o exercício de sua atividade.

Em Santa Catarina um advogado em sustentação oral em uma das câmaras do Egrégio Tribunal, denunciou aos gritos que o desembargador membro daquele colegiado é corrupto e vendedor de sentença, pois pediu 700 mil reais para decidir em favor do seu cliente em demanda no valor de 30 milhões de reais.

A juíza titular do juizado de pequenas causas centro, localizado à Rua Mato Grosso 210, arquivou processo sem julgamento por não entender ter havido revelia, embora o juiz conciliador tenha decretado o procedimento na audiência preliminar em virtude da ausência do demandado, mesmo tendo sido intimado dentro do prazo legal. Na minha concepção para justificar irresponsável ato, identifico a decisão como tendenciosa, merecedora de punição.

Um acadêmico do curso de direito em Teresina, foi preso por chefiar bando de roubo de carga, imaginemos um indivíduo com esta índole travestido de autoridade do poder judiciário.

O Centro Operacional de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência MP/PI na pessoa da então promotora concedeu parecer proibitivo a instalação de sinais sonoros ao longo da Avenida Frei Serafim, artéria central de Teresina com gigantesco e infernal rotatividade de veículos, o tresloucado e vergonhoso ato desmoraliza a Lei Federal nº 10.098/2000 artigo 9º.

Processo criminal tramitando há 7 anos na 3ª Vara há 3 meses concluso na mesa do juiz demonstra o abuso da justiça do Piauí em desrespeitar a Lei Federal LBI nº 13.146-7/2015 que me assegura direito preferencial e prioritário em dose dupla, pois sou pessoa com deficiência visual e tenho 66 anos de idade.

Para meu lenitivo ouvi matéria jornalística informando que o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí punirá severamente juízes recalcitrantes e preguiçosos descumpridores de suas obrigações com péssimo histórico de acumular processos desobedecendo metas estabelecidas para julgamento.

É por essas e outras que continuo convicto em afirmar que direito e justiça no piauí e no Brasil estão prostituídos de forma irreversível.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, agosto 9th, 2017 às 9:57 am na(s) categoria(s) Crítica, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário