Atual esculacho a democracia

31 de março de 1964, exatos 58 anos foi deflagrada no Brasil a tomada do governo central pelos milicos, generais e almirantes usando o pretexto de organizar e moralizar o Brasil, destituíram imediatamente o estado de direito, poderes constituídos e dissolveram o Congresso Nacional, foi durante duas décadas a vontade de um só, mandando e desmandando, na ocasião eu tinha 12 anos de idade, sou testemunha ocular desse período negro da história do Brasil.

Praça Mal. Deodoro da Fonseca, monumento do marco zero de fundação de Teresina, edificado em 16 de agosto de 1852, em volta do mesmo foi estabelecido o Diário Oficial, Assembleia Legislativa do Estado do Piauí. Escola Normal Antonino Freire, Prefeitura Municipal de Teresina, Receita Federal, Cartório de Oficio Santana, Coletoria do Estado, Igreja do Amparo, Câmara Municipal de Teresina, na frente desse prédio o café Avenida, Hotel Piauí, Tribunal de Justiça e mercado São José, popular mercado velho.

Lembro-me perfeitamente de gigantesca movimentação de verdadeiros saques as instituições elencadas, invasões dos milicos, sendo efetuadas prisões e apreensões de documentos. Presenciei deputados estaduais amarrados por cordas a atirados no piso dos jipes e outros veículos usados na época todos levados presos para as unidades do exército sediados em Teresina. Foi uma debandada geral, quem pode correr escapou, os mais ousados que ficaram para ver os acontecimentos foram trancafiados, as emissoras de rádio Difusora, Pioneira e Clube foram silenciadas e ficaram sob a tutela de um censor militar, o jornal o Dia que funcionava na esquina das Ruas 7 de setembro e Areolino de Abreu teve suas dependências invadidas pelo terror promovido pela ditadura recém-criada no Brasil.

Lamentavelmente os cruéis episódios no período de exceção que tivemos é fato e deve ser divulgado, propagado e massificado aos jovens, principalmente com o objetivo de informar, conscientizar e politizar ao exercício de cidadania com intuito de valorização do processo democrático brasileiro que embora a duras custas conseguimos conquistar após derramamento de sangue, lágrimas, prisões arbitrárias, desvios permanentes, quando o cidadão revoltado era contido com o prende e arrebenta dos milicos, reação enérgica aos contrariados ao tentar se organizar para reagir a crueldade imposta as repressões coletivas de reuniões as escondidas em desfavor do processo de censura a tudo e a todos.

Imaginemos nos dias de hoje as Universidades Federais do Brasil contemplando um departamento de censura nos campings, os veículos de rádio e televisão subjugados a vontade de uma censura criminosa e imbecilizada que qualquer matéria a ser veiculada teria que sofrer o crivo do que era permitido e o que era proibido falar ou escrever. Com a redemocratização do Brasil a conquista da liberdade principalmente direito ao voto que culminou com a eleição de um parlamento constituinte promovendo a constituição de 5 de outubro de 1988 adjetivada pelo saudoso Ulisses Guimarães de Constituição Cidadã, que teria atribuição de assegurar direito a todos os brasileiros, lamentavelmente hoje é uma colcha de retalho emendada ao bel prazer dos nossos representantes do Congresso Nacional, a maior corte de justiça brasileira de mãos atadas e colocando gasolina na fogueira para quanto o pior melhor.

Por incrível que pareça essa pauta com esse tema histórico e vexatório é proibido em todos os veículos de comunicação do Brasil, temem ajoelhados em caroços de milho a conscientização da sociedade para que possa exigir direitos, trago como exemplo a rádio Teresina FM 91,9, que mantém em sua redação departamento de censura comandado pelo jornalista Bartolomeu Almeida, Simone Castro e a direção da emissora, ato danoso a liberdade de pensamento e expressão dos teresinenses, o objetivo são os mais escusos possíveis, no que posso avaliar como vítima e testemunha é a coação submetido aos que pensam diferente às pautas tendenciosas veiculadas.

Rogo providências enérgicas o estado brasileiro, reprimindo brutal desrespeito as liberdades garantidas no texto constitucional brasileiro, cerceadas, impedidas e proibidas pela diretoria dessa concessão pública de rádio Teresina FM 91,9

Carlos Amorim DRT 2081/PI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima