Atos inconstitucionais número cinco na Difusora

Quarta-feira (22) ao sintonizar a rádio Timbira do Maranhão equivocadamente acessei o programa jornal da Difusora ancorado pelo Odílio Teixeira. Por telefone o contumaz colaborador das programações de rádio de Teresina Fábio Brito, ao iniciar sua manifestação foi interpelado e censurado pelo caduco apresentador: É o Fábio Brito? Resposta positiva. Olha seja objetivo, vá direto ao assunto, você não pode estar falando nomes de ouvintes e outras pessoas do teu conhecimento. Ao ser colocado no ar limitou-se a informação de um congresso de autistas que será realizado em Teresina, agradeceu, se identificou e desligou.

O Fábio Brito é ex-policial militar, tem bom relacionamento junto aos comandantes de batalhões e cavernas da Polícia Militar do Piauí, tem como praxe dar informações, movimentos que ocorrem nesse segmento, exemplo: cursos, treinamentos, palestras, congressos, seminários e outros, seus comentários recheados de saudações a diversas autoridades, militares, eclesiásticas, profissionais liberais, geralmente conclui seus informativos registrando cursos e treinamentos que participa, se identificando como autodidata atuando profissionalmente como autônomo vendedor de livros, pelo que demonstra leitor habitual inveterado de diversificadas obras literárias, é exigente fiscalizador do falante corretamente do idioma português, talvez seja este o motivo da rejeição, retaliação e represália do Odílio Teixeira por agredir de forma criminosa a gramática portuguesa, exemplo: Ao se referir a um desembargador cometeu a seguinte criminosa verborragia: “Há muito tempo eu não a vejo”. Esse é o nível intelectual de um dos gênios da radiofonia do Piauí há 100 anos.

O mais grave, criminoso e indecente são as garantias legalmente constituídas aviltadas, desmoralizando o texto constitucional brasileiro artigo 5º e respectivos incisos vejamos: Será que o Odílio Teixeira sabe o que é liberdade de expressão? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é livre pensamento? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é liberdade de ideias? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é liberdade de manifestação? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é direitos humanos? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é liberdade ao contraditório? Será que o Odílio Teixeira sabe o que é a gravidade de um constrangimento público ao desmoralizar um cidadão em pleno gozo de suas garantias legais ao exercício cívico de sua cidadania? Os questionamentos que faço evidentemente não representará qualquer tipo de repercussão ao criminoso comportamento desse desprezível radialista.

Tomo posse dessa deprimente pauta para chamar atenção do Valdeck Moraes enquanto membro do Sindicato dos Radialistas do Piauí, exigindo ao Odílio Teixeira frequentar o famigerado curso da Comrádio, já que esse sindicalista se autointitula de genial preservador das garantias da boa eloquência do profissional do rádio, apesar de perceber mensalmente ridículo piso salarial com valor de R$ 1.350,00.

Tenho convicção que as extravagantes posturas protagonizadas pela rádio Difusora AM são autorizadas pelo detentor dessa concessão pública Mário Rogério da Costa Soares, que tem as mesmas posturas em desfavor de quem diverge do seu torpe intransigente pensamento. O que é lamentável refere-se a meia dúzia de patrocinadores que mantêm essas indecorosas agressões no ar, sendo o principal de todos o padre Reginaldo Manzotti que enodoa seu trabalho ao contratar a rádio Difusora de Teresina para compor rede nacional destoando de forma absurda e estúpida a mensagem da doutrina católica cristã produzida no Paraná.

Acredito que a organização desse culto diário não tem conhecimento da explícita censura resgatada e colocada em vigência na programação da rádio Difusora, demonstrando nitidamente o saudosismo do prende e arrebenta, do pau de arara, das prisões arbitrárias nos porões do DOI-CODI, exílios de brasileiros insatisfeitos com o regime e milhares de assassinatos que até a presente data não foram localizados os corpos das vítimas. Essa é a postura da rádio Difusora protagonizando os anos de chumbo do processo ditatorial de exceção.   

Carlos Amorim DRT 2081



Tags: ,
Este texto foi publicado em quarta-feira, janeiro 23rd, 2019 às 8:40 am na(s) categoria(s) Crítica, Denúncia, Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário