Aliança para o progresso

O presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, determinou aos componentes de transição a implementação de reforma dos ministérios para reduzir custos ao patamar de 15 pastas.

Tomei conhecimento da existência de um superministério que serão fundidos com o objetivo de economizar recursos financeiros diminuindo o inchaço da máquina pública federal. Lembrei-me rapidamente do saudoso superministro Funaro, de saudosa memória do fracassado governo Sarney e seu cruzado do tempo da vovozinha. Esse tópico é apenas para descontrair as tenções produzidas por imensos desgastes para organizar o processo administrativo do Brasil que se encontra em caldo de pinto, mais perdido que cego em tiroteio ou transatlântico em mar tempestuoso sem leme e sem direção.

Quero nessa oportunidade dar minha cota de contribuição, sugerindo a fusão dos ministérios da Assistência Social, Direitos Humanos, Secretaria da Presidência da República e Conselho Nacional da Pessoa com Deficiência, a cargo de um único ministro, sendo que no caso do Conselho, extinguir o cargo de presidente, implantando um colegiado com funções alternadas, sendo esses cargos colaborativo sem remuneração. A união garantirá necessárias condições para manutenção de deslocamento dos membros do conselho. Nos meus parcos conhecimentos acredito que haverá gigantesca economia com essas providências tomadas.

A primeira-dama senhora Michelle de Paula, tem uma vastíssima folha de serviço voltada a esse segmento, tenho convicção que ao assumir sua patente não envidará esforços para assegurar e garantir visibilidade, integração, inclusão e acessibilidade a 46 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência existente no Brasil (dados do IBGE censo 2010), resgatando as determinações da Lei Brasileira da Inclusão-LBI nº 13.146/2015, absolutamente desrespeitada, violada e desmoralizada, simplesmente pela ausência de autoridade altiva, rigorosa e vigilante, impondo punição severa aos recalcitrantes, desobedientes e excludentes.

Através das entrevistas concedidas pelo presidente Bolsonaro, sinto-me motivado, esperançoso e muito feliz com o governo semelhante ao de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek que cunhou a seguinte frase “cinquenta anos em cinco”.

Carlos Amorim DRT 2081



Este texto foi publicado em quarta-feira, outubro 31st, 2018 às 9:09 am na(s) categoria(s) Geral. Você pode acompanhar todos os comentários deste post através do feed RSS 2.0. Você pode deixar um comentário, ou dar trackback através do seu próprio site.

Deixe um comentário

Seu comentário