Água na cabaça

Conheço o apresentador de televisão Pádua Araujo há 10 anos, tenho um relacionamento de amizade com ele, discutimos muitas questões do nosso dia a dia, temos muitas divergências de opiniões em virtude de que costumo falar aquilo que ele não quer  ouvir culminando em animosidades. Mas após os ânimos acalmarem-se é restabelecida a paz.

Pádua Araújo é um homem de origem humilde, um caboclo nascido na roça, um homem rude com escolaridade média, mas nasceu premiado pela dádiva divina de comunicar. Muito inteligente consegue destacar-se entre os ditos PHD’s em comunicação do Piauí, daí surge às perseguições quando ele usando a popularidade invejável que conquistou, busca fazer um trabalho com independência e soberania, atendendo os anseios e necessidades dos desfavorecidos conseguindo ferir o orgulho, a vaidade e egocentrismo da maioria dos que fazem comunicação no estado do Piauí. Com sua maneira simples e se expressando com vocabulário regionalizado ele conseguiu com seu carisma e competência  aregimentar milhares de amigos, admiradores, fãs e muitos que se dizem amante do cabra do chapéu de couro. É um homem que tem coração de menino e às vezes atitudes infantis, inconsequentes e impensadas.

Como sou um homem bem relacionado e tenho muitos amigos em vários veículos de comunicação tomei conhecimento de que o Pádua Araújo foi chamado para uma conversa com seu ex-patrão. Se na realidade tiver fundamento essa informação está de parabéns a empresa na pessoa do seu proprietário, os telespectadores, como também o ganho substancial de qualidade na grade de programação. Enfim ganha o apresentador Pádua Araújo por ter mais uma vez a oportunidade de desenvolver seu trabalho fazendo aquilo que mais gosta.

Não tenho nenhuma pretensão de desqualificar o trabalho do atual apresentador que ocupa o antigo horário do apresentador em discussão. Finalizo parabenizando a direção da empresa que o acolheu e futuramente o receberá de braços abertos. Pádua Araújo que após essas férias, em seu primeiro programa deverá abri-lo com a seguinte frase, “voltei para beber água da cabaça”. Boa sorte a todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima